Presidente do Ampére revela objetivos da temporada e projeto de novo ginásio

Em seu terceiro ano consecutivo na Série Ouro do Campeonato Paranaense de Futsal, o Ampére Futsal vai realizar uma temporada focado em dois objetivos: dentro de quadra, quer permanecer na elite; fora dela, busca equilíbrio financeiro. 

A questão extra-quadra é de conhecimento, inclusive, do treinador Dalton Bacana. Ele renovou com a equipe e na entrevista ao Correio do Povo do Paraná mostrou-se atento ao problema financeiro. “O primeiro objetivo, sabemos, é pagar as dívidas”. 

No ano passado, a diretoria planejou um estadual livre do rebaixamento, mirando uma vaga nas quartas de final. Com a pandemia, os planos foram dissolvidos e em dezembro o fato de ter conseguido disputar o certame foi motivo de comemoração. 

Em fevereiro, Miguel de Oliveira deixou a presidência e quem assumiu o clube foi Rodrigo Machado. “Herdamos o Ampére com uma grande dívida e o foco é entregá-lo à próxima gestão com as contas em dia”, disse o mandatário. 

Rodrigo e Dalton também falaram sobre a fórmula de disputa da Série Ouro. “Nós defendemos o rebaixamento de quatro times, apesar de sermos um dos pequenos, mas é justo, já que em 2020 não caiu ninguém”, disse o presidente. 

Quanto à 1ª fase, Dalton Bacana também mostrou-se de acordo com o que foi acatado no congresso técnico. “A outra opção era classificar os 12 primeiros para a 2ª fase e os quatro últimos caírem, de imediato. Seria muito ruim em caso de ficarmos entre esses últimos, pois a temporada terminaria em agosto”. 

Dalton Bacana renovou para mais uma temporada à frente do Ampére. Foto: Reprodução

Novo ginásio 

O Ampére seguirá mandando seus jogos no Ginásio da Rondinha. A quadra é a única da elite com dimensões inferiores (38 por 18,5 metros) às oficiais – 20 por 40 metros. Diante disso, a diretoria do Lobo ganhou mais um ano para regularizar a situação. 

O presidente do Operário Laranjeiras, Luiz Leoni Melleti, o ‘Tilim’, criticou o clube do Sudoeste e disse que enviaria um decreto de protesto à Federação Paranaense. “Não concordamos (com a permissão dos jogos na Rondinha) . Eles se arrastam com essa questão da quadra desde um tempo. Não é justo, pois o Ampére tem vantagem ao jogador na quadra reduzida”.

Com 38 por 19,5 metros, a quadra do Rondinha está fora dos padrões exigidos pela FPFS. Foto: Reprodução

Por outro lado, o Ampére ganhou a compreensão dos demais clubes. O supervisor do Cascavel, Pedro Mufatto, disse que embora o adversário vá para o 3º ano seguido de Série Ouro numa quadra menor, deu um voto de confiança à equipe. “É complicado ferrar alguém por conta do ginásio. No entanto, como eles estão se reestruturando, demos um voto de confiança para mais um ano”. 

Rodrigo revelou que a prefeitura de Ampére já se mobilizou pela questão e que um novo ginásio deverá ser construído, com previsão de término para março de 2022”. Nós sabemos que no ano que vem teremos que ter essa situação resolvida. É uma obra que compete ao município, já que o clube não tem condições, mas o governo estadual já foi procurado e a construção já está encaminhada”. 

Elenco

No plantel para o estadual, que tem previsão de início para 13 de março, Bacana conta com a renovação do ala Jardel e do fixo Maringá e com o retorno do ala Danrlei. Entre as contratações, está o ala Pelezinho, que estava no Operário Laranjeiras. 

Pelezinho: ex-Operário, ala é reforço do Ampére/Foto: Reprodução