Baixa adesão à vacinação contra a gripe preocupa especialistas

A baixa adesão à campanha de vacinação contra a gripe preocupa. Segundo o vacinômetro do Ministério da Saúde, apenas 13,2%

A baixa adesão à campanha de vacinação contra a gripe preocupa. Segundo o vacinômetro do Ministério da Saúde, apenas 13,2% do público-alvo foi imunizado até o momento, sendo que a meta é alcançar 90% do grupo. Fatores como o medo de exposição ao coronavírus ou a falta de informação sobre a importância da vacina contra a influenza podem contribuir para o baixo número, mas a infectologista e especialista em vacinas do Exame Imagem e Laboratório/Dasa Maria Isabel de Moraes Pinto reforça a necessidade de que todos sejam vacinados.

‘Em uma situação de pandemia com um vírus respiratório, não queremos correr o risco de outras infecções’, conta a infectologista e especialista em vacinas do Exame Imagem e Laboratório/Dasa Maria Isabel de Moraes Pinto. ‘A vacina tem boa eficácia e é muito segura. Embora seja essencial para os grupos de risco, pode ser aplicada em todas as pessoas a partir de seis meses de idade no serviço privado’, continua

Além dos grupos de risco, a recomendação é que todas as pessoas que possam tomar a vacina busquem se imunizar. Na rede privada, todas as pessoas acima dos seis meses de idade podem receber a dose, que protege contra as variantes da gripe que estão em maior circulação no momento. Por isso a importância de se vacinar todos os anos, já que o vírus sofre constante mutação e a vacina é atualizada para oferecer a maior proteção possível.

‘O vírus influenza causa uma doença respiratória que pode ter diferentes graus, desde casos simples até uma pneumonia que pode evoluir para a síndrome respiratória aguda grave e levar a óbito’, conta Maria Isabel. ‘Por isso é essencial que toda a população tome a vacina para se proteger e proteger a sua família, em especial as crianças. Embora o número de casos graves da covid-19 seja baixo entre elas, a gripe pode ser muito perigosa para a faixa etária abaixo dos cinco anos de idade’, finaliza.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail