Câmara e prefeitura de Laranjeiras lançam edição 2021 do Dinheiro Direto na Comunidade

As entidades sem fins lucrativos de Laranjeiras do Sul seguirão recebendo investimento do poder público. É o que ficou acordado

As entidades sem fins lucrativos de Laranjeiras do Sul seguirão recebendo investimento do poder público. É o que ficou acordado nesta quinta-feira (5) no lançamento do Dinheiro Direto na Comunidade para 2021. A iniciativa criada pela administração do prefeito Berto Silva e aprovada na Câmara prevê a aplicação de recursos financeiros direto nas associações que atendam aos critérios do programa. A primeira reunião do ano aconteceu na Comunidade do Rio Leão, oportunidade em que os moradores receberam uma carreta basculante avaliada em R$ 25 mil reais.

Parceria

O presidente do legislativo, Carlos Alberto Machado, o Magrão, reiterou a parceria consolidada entre os poderes, posto que boa parte dos investimentos da iniciativa são procedentes de economia feita na Câmara. Além de citar as ações da prefeitura e destacar a harmonia entre administração municipal e vereadores, o prefeito Berto Silva reiterou o suporte financeiro às comunidades, sobretudo pensando no pós-pandemia. “Seguimos estruturando nossas entidades para que saiam mais fortalecidas e preparadas deste momento difícil”, destacou.

Isenção de IPTU

A vereadora Valeide Scarpari quer que pessoas com deficiência sejam isentas de pagar o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). De acordo com o projeto de lei 007/2021, apresentado na segunda-feira (2), terá o benefício aquele munícipe que comprovar renda de até três salários mínimos, possuir no máximo um imóvel e com área de até 50 metros². A matéria altera a redação do Inciso I do Artigo 194 da Lei Municipal 047/2001. O projeto agora segue para as Comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e Finanças e Orçamentos (CFO). “Pela lei, idosos, pessoas com HIV e câncer já estão isentos de pagar o IPTU na cidade. Por meio do projeto, o objetivo é incluir também pessoas com deficiência”, destacou a vereadora em plenário. A autora da proposta diz que é preciso ajudar as pessoas a efetivar o direito de uma vida digna. “É um dos valores mais importantes do nosso Estado de Direito, garantido pela constituição para todos os cidadãos”, defendeu. “Benefícios como este ajudam na renda familiar, especialmente para quem precisa pagar por vários medicamentos, tratamentos médicos, entre outras despesas”, explicou