Fim de semana em Laranjeiras promete frio intenso e geada

Sob influência do La Niña, março iniciou em Laranjeiras do Sul com períodos de chuva e frio intercalados com calor.

Sob influência do La Niña, março iniciou em Laranjeiras do Sul com períodos de chuva e frio intercalados com calor. A partir desta semana, existe risco de geada. O outono, que começou no dia 22 de março, é marcado por chuvas irregulares no município. Segundo o agrometeorologista Luiz Renato Lazinski, o fenômeno climático La Niña, caracterizado pelo esfriamento das águas do oceano pacífico, terá influência nas precipitações em praticamente todas as regiões brasileiras, especialmente no território paranaense.

No início do mês, ondas de ar frio e seco começaram a ser frequentes e intensas, o que provocou expressivo declínio da temperatura do ar. Dessa forma, teve dias muito frios, intercalados por outro de grande calor. Segundo o especialista, o risco de geada não está descartado, principalmente após o final de maio. “O La Niña atingiu o seu máximo em janeiro e fevereiro. Ele está diminuindo de intensidade, mas, mesmo fraco, segue influenciando nosso clima até meados deste ano”.

Frio intenso e geada

O Simepar explica que uma massa de ar frio e seco sobre o Estado desde domingo (23) causou as menores temperaturas do ano em diversas estações meteorológicas do instituto. De acordo com o Sistema, ainda não houve temperaturas negativas, mas foram registrados núcleos muito frios no Oeste, no Centro, nos Campos Gerais e no Norte Pioneiro. Há previsão de frio mais rigoroso e ocorrência de geadas nas regiões Sudoeste, Sul, Centro-Sul, Campos Gerais e sul da grande Curitiba.

O inverno inicia-se oficialmente em 21 de junho, mas as temperaturas baixas já estão ocorrendo em várias cidades do Paraná. De acordo com o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), ontem (24) foi registrada a menor temperatura do ano em muitas cidades, inclusive Laranjeiras.

“Eu fui pego de surpresa, na semana passada estava relativamente quente e no final de semana me assustei com tamanha friagem, sai cedo de casa sem imaginar que a temperatura fosse cair tanto e passei muito frio. Agora já vou me preparar porque sei que a tendência é esfriar ainda mais nos próximos dias”, relatou Gustavo Rodrigues, jovem laranjeirense.

Cuidados com o hidrômetro

Com o frio intenso e previsão de geada, a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) lembra os clientes que os cuidados com o hidrômetro são ainda mais necessários. O medidor de água, chamado pela população de “relógio”, pode ser danificado e até mesmo romper. As baixas temperaturas favorecem o congelamento da água dentro dos canos, fazendo com que estourem.

Além de transtornos para a Sanepar, que precisa substituir os hidrômetros, também o cliente é prejudicado, podendo ter problemas com vazamentos e ficar sem água até que o equipamento seja trocado.

A proteção do hidrômetro pode ser feita com caixa de papelão, plástico, lona ou madeira. Podem ser usados outros tipos de materiais que impeçam o acúmulo de gelo sobre o hidrômetro e o encanamento, desde que não fiquem em contato direto com a estrutura. O material deve ser de fácil remoção para que o leiturista faça a medição.