“Mudança não é um processo de uma eleição só”, diz Berto Silva

Concorrente à reeleição à prefeitura de Laranjeiras do Sul, ele fechou a série de entrevistas do Correio com os candidatos a prefeito da cidade

O atual prefeito e candi- dato à reeleição Berto Silva, fechou a série de entrevistas com os postulantes ao cargo em Laranjeiras do Sul. Ele concorre ao cargo pelo par- tido Podemos com a coligação “Laranjeiras cada vez mais forte” tendo aliança com o PT, Patrio- tas, PSD e PSL.


Quem é Berto Silva?

“Eu sou o sexto filho de uma família de dez irmãos. Uma famí- lia de classse trabalhadora, por- tanto tive uma vida dura desde a infância e isso me forjou o caráter”. Berto conta que chegou como radialista a Laranjeiras em 1998. Concorreu sua primeira eleição a prefeito em 2000.

“Enfrentei um grupo que se revezada no poder há muito tempo, fui com ousadia e per- di a eleição mais disputada da história de Laranjeiras do Sul por aproximadamente 190 votos”, lembra.

O candidato diz que aprendeu com a derrota e teve forças para suplanta-la e ser eleito em 2004, reeleito em 2008 , suplente de deputando em 2014, eleito prefeito novamente em 2016 e foi convocado para assumir a vaga na Assembleia Legislativa a qual abriu mão.

“São sete campanhas eleito- rais, sendo a quinta para prefei- to, três vitoriosas, pois essa não sabemos ainda”.

Para deputado Berto concorreu a federal em 2002 e fez perto de 16 mil votos e também concorreu a estadual com pouco mais de 20 mil votos e ficou como suplente.

“Eu fui o primeiro prefeito reeleito estando no cargo e sou o único prefeito a ter três mandatos pelo voto popular, o que me dá muita responsabilidade”.


Porque ser prefeito pela quarta vez?

Berto afirma que ninguém é candidato de si mesmo e que nunca buscou a candidatura por sonho ou por vaidade pessoal, que acredita que a candidatura nasce do conjunto da socieda de e que a reeleição agora que seria o quarto mandato seria a mesma coisa.

“As pessoas estimulam você. O mandato acertivo e bem exe- cutado me colocou na posição de disputar novamente. A gente vem num processo de mudança e mudança não é um processo de uma eleição só”.

Ele diz ainda que um mandato foi melhor que outro, o se- gundo foi melhor que o primeiro e o terceiro foi melhor que os outros dois.

A coligação

Segundo o candidato, não se pode mesquinhar uma eleição municipal, ela não pode ter discussão ideologica. A ideolo- gia tem que ficar para a esfera federal.

“Além de esquerda e direita nós somos pessoas de bem dis- cutindo o futuro da nossa cidade”.

Ele diz ainda que no governo toma-se decisões de esquerda e de direita. Muitas vezes tem que ser conservador e outras vezes tem que levar o peixe pra aquele que ainda não consegue pescar.


Gestão atual

“Uma gestão tem que se preocupar com todas as áreas, podem apontar qualquer área que temos o que mostrar”. Berto destaca o projeto de infraestrutura urbana e rural que, segundo ele, é o maior do estado proporcionalmente.

Segundo ele, ninguém fez mais asfalto e esgoto do que a cidade de Laranjeiras e não se tem notícia de que alguma outra cidade tenha feito a substituição de toda a iluminação pública de uma só vez.

“Reestruturamos toda a cidade, reformamos todas as escolas, abrimos unidades de saúde que estavam fechadas, recuperamos todas as praças, construímos novos espaços públicos”.

Saúde

Berto lembra da reimplantação da UTI e depois da Covid-19 vai se tornar uma UTI geral, mudando o patamar da saúde e trazendo especialidades. “Estamos mirando na hemodiálise, tendo a UTI podemos ter um tratamento de hemodiálise. E na educação implantamos o método positivo”. Relembra também que antes dele, não havia plantão 24 ho- ras nos hospitais de Laranjeiras. “Quando as unidades de saúde fecham os hospitais fazem o trabalho. Você até pode discutir o plantão, porque melhorar a gente tem que melhorar sempre, mas precisa lembrar que se ele existe é porque esse prefeito implantou”. 

Ele diz também que tem em mente criar o serviço próprio da prefeitura e não precisariam construir uma estrutura nova, pois as já existentes comportam um pronto atendimento 24 horas.

Hortas comunitárias

Segundo Berto, a ideia que está em seu plano de governo é para terrenos públicos e priva- dos. O cidadão que permitir que a secretaria de Agricultura faça uma horta no seu terreno terá desconto no IPTU.

“Com isso vamos abastecer de ajuda da assistência social e as escolas. É um projeto muito simples e muito eficaz. Ao invés de ter mato e capim você vai ter legumes”.

Empreendedorismo

Berto diz ter a convicção que é o empreendedor local que vai resolver o problema do desem- prego. Contou que a prefeitura está com uma chamada pública disponibilizando 24 terrenos no parque industrial. “Colocamos a disposição das empresas locais. Serão 24 novas empresas”.

Contou ainda sobre a pro- posta de um novo parque industrial, que será às margens da ro- dovia e que já tem uma conversa encaminhada com um proprietário que concordou em vender um terreno para a prefeitura.

“Me perguntam porque não fizemos antes. E eu digo uma coisa de cada vez. A gente tinha que organizar a cidade. Empre- sário nenhum quer investir em cidade esburacada, escura, com escola ruim, saúde ruim e prefei- tura caindo. Nós preparamos a cidade primeiro. E grandes marcas estão chegando”.


Por que votar no Berto?

“Minha história começou em Laranjeiras em 1998 e culminou em três bons mandatos. Tenho a convicção que quem votou em mim nunca teve que baixar a cabeça. Nunca envergonhei o voto de ninguém.

Não esperei ser prefeito para ajudar as pessoas, eu fiz isso por convicção a vida inteira! Tenho as minhas obras, tudo que fiz nesse mandato. As pessoas podem analisar o antes do Berto e o depois do Berto. Espero que o eleitor faça essa análise. Eu me apresento com humildade e mais maduro”, completa.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail