Comprometimento no combate ao abuso e violência sexual contra crianças e adolescentes em Quedas

No mês de combate ao abuso e à exploração sexual contra crianças e adolescentes, o dia 18 de maio, Dia

No mês de combate ao abuso e à exploração sexual contra crianças e adolescentes, o dia 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso Sexual foi lembrado em Quedas do Iguaçu numa ação em frente à sede do Projeto Gente, instituição de apoio a crianças em situação de risco.
O secretário de Cultura e advogado, Jair Fontanella, se referiu à causa em termos advocatícios. “Não conheço ninguém que goste de atuar na defesa de alguém, ainda que para elas não se deixarem envolver por questões de redes sociais”.
Jair explicou que ao mesmo tempo em que houve a necessidade de ficar em casa por conta da pandemia, esse período também auxiliou para o aumento de casos de violência contra crianças e adolescentes. “Devido às vítimas estarem convivendo no mesmo ambiente de possíveis agressores, que geralmente são pessoas próximas e de confiança delas e também por estarem expostas a conteúdo adulto por meio da internet ocasionado pelo tempo livre”, pontua Fontanella..
O secretário de Assistência Social, Jacir dos Santos, citou como a secretaria está se dedicando. “A gente sabe que temos muito a oferecer, é necessário garantir a toda criança e adolescente o direito ao seu desenvolvimento de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual”.

Violação de direitos

Segundo Jacir, identificar violação de direitos é ficar atento a pequenos sinais. “A criança ou adolescente emite vários sinais que podem ser identificados dentro da família. Eles podem apresentar baixo rendimento escolar, choro sem motivo, não gostar de lugares que antes frequentavam, ter sentimento de inferioridade”, falou. 

O secretário acrescenta ainda que, quando o problema não é denunciado, podem ficar sequelas. “Se essa criança não for assistida, pode se tornar um adulto agressivo, um adulto que não consegue se relacionar com outras pessoas, e que também pode violar um direito de outra criança, porque ele não foi acompanhado por um serviço especializado. Então, a violência muitas vezes é um ciclo e em 90% dos casos o agressor está dentro de casa”, acrescentou.
Já a Irmã Eva que representou a Irmã Eliana Diniz que está em viagem, lembrou da grande barreira neste dia. “Que não tenhamos medo de denunciar. Essa campanha não pode ficar somente no dia 18 de maio, mas todos os dias”.
De acordo com a presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescentes, Cleonice Rodrigues, somente neste ano já são mais de 20 casos de denúncia registrados no município, Cleonice frisou que as crianças não podem ter acesso a certos conteúdos. “Aconselho aos pais limites, conversar com seus filhos, a educação sexual é muito importante, tudo começa dentro de casa”, afirmou.

Participaram da iniciativa a presidente do Conselho Municipal da Criança e do adolescente, Cleonice Rodrigues, secretário de Assistência Social, Jacir dos Santos, da Cultura, Jair Fontanella e do Trabalho, Helinton Pimentel.

Canais de Denúncia

O Disque 100 é o canal de denúncias oficial do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e recebe denúncias anônimas de qualquer violação de direitos humanos, incluindo situações de violência sexual contra crianças e adolescentes. Após a ligação, o órgão encaminha a denúncia aos órgãos competentes na cidade de origem da criança ou do adolescente, para investigação.

Também é possível fazer a denúncia no Conselho Tutelar, Ministério Público ou órgãos policiais, que pode ser a Polícia Civil, através do Disque 197; Polícia Militar, através do Disque 190; e Polícia Rodoviária Federal, através do Disque 191.