Prefeito de Marquinho explica que vacinas poderão ser compradas independente do consórcio

O prefeito deixou claro que assim que for liberada a compra e houver vacinas, o Paraná Saúde terá a facilidade de aquisição como qualquer outro consórcio

O prefeito de Marquinho e presidente da Associação Intermunicipal de Saúde do Centro Oeste do Paraná (Assiscop), Elio Bolzon Junior (Juninho), em entrevista ao Correio do Povo, falou sobre a pandemia no município e sobre a compra de vacinas. Juninho esclareceu que se um consórcio for habilitado para a aquisição, possivelmente todos os outros que estiverem engajados neste objetivo também estarão, como é o caso do Paraná Saúde – consórcio composto por 398 municípios do Paraná, que barateia a aquisição de medicamentos básicos.

“Assim que houver disponibilidade de vacinas contra a Covid-19 para serem compradas, vamos comprar através do Paraná Saúde’’, diz.

Muitos municípios aderiram ao Consórcio de Vacinas, promovido pela Frente Nacional de Prefeitos, inclusive Laranjeiras e Porto Barreiro. Compartilhando a mesma opinião do prefeito de Virmond, Neimar Granoski, Juninho não aderiu, pois segundo ele, seria mais um consórcio, só para dizer que se está correndo atrás de resolver a situação, que não se está de braços cruzados. “Se você pode comprar por um consórcio do qual já faz parte, não tem o porquê de entrar em outro”.

Juninho explica que quando for possível comprar as vacinas não importará o consórcio, afinal haverão normas, faixas etárias e público obrigatoriamente prioritário, assim como acontece com a distribuição do governo federal. “Mesmo que você compre a vacina, não pode imunizar quem quiser, existe um sistema de imunização. Quando as vacinas estiverem disponíveis, serão divididas proporcionalmente para os municípios conforme a população e independente de qual for o consórcio eu imagino que os preços serão os mesmos’’.

Ele comenta que sempre procura explicar e e esclarecer todos os critérios da compra de vacinas para que não seja criada uma falsa expectativa na população.

Casos no município

Segundo o prefeito, desde sexta-feira (12) Marquinho estava sem nenhum caso ativo e na quinta-feira (18) positivou dois, mas já chegou a ter 18 casos ativos. “Sempre procuramos conversar com as pessoas e o que nos ajuda é que temos muitas pessoas do interior, mas mesmo assim temos pessoas que não respeitam’’.

Ele relata que no primeiro decreto do governador o município aderiu ao fechamento do comércio, mas no segundo flexibilizaram um pouco. “Sempre frisando a questão dos cuidados, temos 17 fiscais no município e não chegamos a multar ninguém e nem proibir o comércio de bebidas”, finaliza Juninho.

Conquista

Na oportunidade, a secretária de Saúde de Marquinho, Maricleia Telles de Vargas, falou sobre a aquisição de um aparelho de ultrassom novo e moderno, que está sendo instalado. “É um aparelho que trará benefícios para a população em geral, pois o equipamento faz ultrassons variados”, comenta Maricleia.

Segundo a secretária, o município já possui um antigo, mas o novo beneficiará inclusive na questão das gestantes que precisam algumas vezes se deslocar até Laranjeiras para fazer exame mais detalhado.