Nova Laranjeiras: mutirão de eliminação dos criadouros de dengue reúne agentes de saúde e estudantes

“Queremos que os alunos e a comunidade possam ser formadores de opiniões e voluntários”, destaca o coordenador de Endemias, José Gilberto da Rocha

O setor de Endemias da secretaria de Saúde juntamente com alunos do Colégio Estadual Rui Barbosa realizou durante dois dias um mutirão de combate aos focos do mosquito da dengue. A ação, que deu exemplo de conscientização e cidadania começou na segunda-feira (13) no bairro Cohapar e entornos. A segunda etapa, que atendeu o resto da cidade, aconteceu na terça-feira (14), contando com agentes de saúde.

Somente nesses dois dias de mobilização foram recolhidos em torno de três toneladas de lixo, que seriam possíveis criadouros do Aedes aegypti, evitando uma grande proliferação. Outra importante medida, como destaca o coordenador de Endemias, José Gilberto da Rocha, é que cada pessoa faça a sua parte, mantendo seus quintais limpos e cuidando para que nenhum tipo de material acumule água, impedindo a proliferação do mosquito.

Sem baixar a guarda

Mesmo durante o inverno é essencial eliminar os focos de dengue, pois o mosquito continua vivo. “Nós sempre temos encontrado focos do mosquito. Então estamos alertando a nossa população para que mantenham os quintais limpos para evitar de chegar no próximo verão com índices muito altos de dengue no nosso município”, disse José.

Segundo ele o município já registrou dois casos importados de dengue, ou seja, que vieram de fora. “Como nós temos o nosso transmissor aqui, não infectado, a preocupação é muito grande, não só dos agentes de saúde, do combate a Endemias, mas da prefeitura que também está fazendo parte dessa ação que estamos realizando”.

José destaca que os mutirões de combate à dengue são de grande valia para a comunidade como um todo, porque proporcionam a eliminação de focos existentes no momento e sensibilizam a população constantemente sobre a importância da prevenção contra o mosquito.

Um dever de todos

A eliminação dos focos do mosquito só poderá ocorrer, de acordo com José, através da união e sensibilização de todos os setores da administração pública com as demais entidades não governamentais e também contando com a força da população. “Toda essa união tem importância muito relevante nos índices de contaminação da população, evitando o adoecimento e possíveis óbitos”.

Outra questão que o coordenador de Endemias ressalta, é o fato de muitas pessoas não darem a devida importância ao perigo que o mosquito representa, mesmo tendo o conhecimento dos riscos e de como combater e eliminar os criadouros de focos de dengue. As ações realizadas pelo setor de Endemias tentam estimular a população para que atuem juntamente em iniciativas como essa. Além disso o setor também realiza palestras nas escolas, visitas de casa em casa para orientações, sala de espera, visita nos comércios e demais eventos.

Para José é essencial trabalhar com a comunidade escolar, conscientizando quanto a prevenção da dengue. “Queremos que os alunos e a comunidade possam ser formadores de opiniões e voluntários, somando e fazendo surgir força no exercício de cidadania e conscientização”.

“Sabemos que esse trabalho é só o início da parte de conscientização da população, ainda nesse ano teremos uma campanha de desenho dentro da comunidade escolar municipal, palestras e mais dois mutirões, fora a rotina diária dos agentes no combate a esse mosquito”.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail