Pneumologista alerta sobre os cuidados para evitar a contaminação por COVID-19 neste fim de ano

“Evite aglomeração, mantenha contato apenas com as pessoas do seu convívio habitual, isso é o ideal.”

O número de casos de Covid-19 está aumentando não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Muitos estados e cidades que já estavam na fase verde recuaram para a fase amarela. 

Em Campinas, dados divulgados pela prefeitura mostram que o número de casos atualmente é de quase 50.000. A cidade está na fase amarela com 85,7% dos leitos de UTI ocupados.

“Do ponto de vista epidemiológico, era esperado que tivéssemos aumento no número de casos. Uma vez que o vírus continua circulante, além de termos mais pessoas fora de casa, na maioria das vezes em ambientes fechados como lojas, shoppings e restaurantes”, explica Ronaldo Macedo, coordenador do Ambulatório de Doenças Pulmonares Difusas/Intersticiais do HC da Unicamp.

O grande problema está sendo a aglomeração. Há muitos estabelecimentos que não respeitam a ocupação máxima estabelecida pelo governo, que é de 60%. E a população não está mais respeitando o distanciamento social. 

“Notamos que muitas pessoas cansaram, foi um ano difícil para todos. É difícil cobrar uma boa conduta, mas é a única forma que temos de evitar a propagação da doença, até que tenhamos a vacina”, comenta o pneumologista.

Com o progressivo fim do isolamento social, mesmo antes do fim da pandemia, é essencial manter os cuidados básicos para frear a propagação do vírus: usar máscara sempre, álcool em gel, evitar passar a mão no rosto, principalmente nos olhos, nariz e boca.

Além dos cuidados básicos, o especialista recomenda a prática de atividade física, seguindo todas as normas da OMS. Segundo estudo realizado por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul, realizar 150 minutos de atividade física moderada ou 75 minutos de atividade intensa por semana, reduz em 34,3% a chance de internação hospitalar pela Covid-19.

O que muitos perguntam é: quando isso vai terminar? A resposta é só uma: com a vacina. Ainda se espera pela aprovação no Brasil e mesmo com o início da aplicação em massa será necessário um tempo para que a imunização seja garantida. 

“O que podemos fazer até lá é continuar nos cuidando. Principalmente agora no final do ano, quando é comum as pessoas ficarem mais próximas e se reunirem, e isso pode causar um problema maior”, diz o Dr. Ronaldo.

“Evite aglomeração, mantenha contato apenas com as pessoas do seu convívio habitual, isso é o ideal. Além da vacina, a conscientização da população é o caminho para que cheguemos ao fim da pandemia”, completa o especialista
 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail