Postos de Saúde do interior de Pinhão retornam com atendimentos

Postos de Saúde do interior de Pinhão retornam com atendimentos

11 postos de Saúde do interior de Pinhão voltaram a funcionar nesta semana. Os locais passam a oferecer, como de tradição, atendimentos médicos e odontológicos. O secretário de Saúde do município, Alain César Abreu, visitou todos os pontos antes da abertura.

O objetivo da visita foi ver e acompanhar de perto as demandas de cada comunidade, além de anunciar a volta dos atendimentos.

De acordo com Alain, Pinhão já possui Unidades de Estratégia como da Família São Roque, Faxinal dos Ribeiros, Faxinal dos Silvérios, Santa Maria, Nova Divinéia e Pinhalzinho, que já estão funcionando.

Enquanto isso, na cidade os ESF Vila Caldas e de São Cristóvão disponibilizam atendimento de enfermagem, médico e atendimento odontológico. “Como gestor, quero deixar um atendimento mais próximo e acessível para a nossa população. Sabemos da dificuldade que existe no interior do município e trabalhamos para que todos tenham acesso aos serviços de saúde, com qualidade e agilidade, e garantir isso é o nosso dever”, disse o secretário Alain.

Os atendimentos de saúde nos postos iniciaram, mas é importante lembrar que todos os cuidados para evitar o contágio do COVID- 19 serão tomados. Junto com as orientações, a Secretaria de Saúde estará intensificando esses cuidados até que seja disponibilizada a vacina para toda a população.

Dengue

A prefeitura de Pinhão está trabalhando também com uma campanha de combate ao mosquito da dengue. Nos últimos dias, os agentes de endemias da secretaria de Saúde fizeram trabalhos de limpezas em algumas regiões da cidade, como medida preventiva.

Devido ao período de chuvas, no mês de janeiro, subiu o índice de infestação, e apesar de não existir uma pessoa infectada em Pinhão, já foi confirmada a aparição do mosquito na cidade, o que já é um alerta para toda a população.

“Os agentes também fazem um apelo à população, para que tomem os devidos cuidados e se preocupem com possíveis criadouros do mosquito, como por exemplo, grandes reservatórios, como caixas d’água, galões e tonéis que são criadouros em que o mosquito prefere se reproduzir. Mas isso não quer dizer que a população possa desviar a atenção de vasos de plantas, calhas entupidas, garrafas, lixo a céu aberto, bandejas de ar-condicionado, poço de elevador, entre outros”, orienta o secretário.