Saiba como identificar os sintomas de AVC

O acidente vascular cerebral (AVC) é a doença que mais mata no Brasil e a que mais causa incapacidade no mundo: cerca de 70% das pessoas que sofrem um derrame não retorna ao trabalho depois do acidente vascular cerebral e 50% ficam dependentes de outras pessoas no dia a dia. Apesar desses números preocupantes, muita gente ainda têm dúvidas sobre o assunto e desconhece as principais causas, sintomas e maneiras de prevenir essa enfermidade.

O AVC acontece quando o suprimento de sangue que vai para o cérebro é interrompido ou drasticamente reduzido, privando as cédulas de oxigênio e de nutrientes. Ou, então, quando um vaso sanguíneo se rompe, causando uma hemorragia cerebral. Entre as causas dessas ocorrências, estão a malformação arterial cerebral, aneurisma, hipertensão arterial, cardiopatia, tromboembolia que é o bloqueio da artéria pulmonar.

É importante prestar atenção aos sintomas para saber identificar um AVC e procurar ajuda médica o mais rápido possível. Quanto mais cedo for tratado o acidente vascular cerebral, melhores são os prognósticos do paciente.

Sintomas

A enfermeira Daiane Mierzwa, esclarece que um AVC pode ser identificado por pessoas leigas que não entendem do assunto pelos sintomas que aparentam. “Alguns sintomas podem ser déficits neurológicos que são geralmente de um lado do corpo, uma paralisia da expressão facial ou do lábio; dificuldade para engolir; dificuldade na fala alteração no nível de consciência, podem acontecer crises convulsivas, queda do próprio nível ou acordar e não conseguir levantar, além de tontura e visão dupla”.

Ela explica que assim que identificados os sintomas é necessário procurar o auxílio médico, pois quanto antes for feita a intervenção, mais chances de recuperação o paciente terá.

Como prevenir

Em alguns casos, o AVC pode ser prevenido. “Para isso deve-se manter hábitos de vida saudáveis, uma boa alimentação, exercícios físicos, controle de colesterol, pressão arterial, de peso, uso de drogas e cigarros”, diz.

Doenças como pressão alta, colesterol, triglicerídeos altos, obesidade ou diabetes são os maiores riscos para a formação de acúmulo de placas de gordura, assim como o desenvolvimento de inflamações nos vasos sanguíneos e doenças cardíacas, sendo importantes riscos para o AVC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *