Governo divulga os 40 projetos aprovados no Programa Pesquisa para o SUS

O Governo do Estado, por meio da Fundação Araucária, divulgou os 40 projetos selecionados na chamada pública, do Programa Pesquisa

O Governo do Estado, por meio da Fundação Araucária, divulgou os 40 projetos selecionados na chamada pública, do Programa Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde (PPSUS). O valor investido é de aproximadamente R$ 5 milhões.

O objetivo é apoiar atividades de pesquisa, que promovam a melhoria da qualidade da atenção à saúde no Paraná com contribuição para o desenvolvimento da ciência tecnologia e inovação no Sistema Único de Saúde.

O diretor científico, tecnológico e de inovação da Fundação Araucária, Luiz Márcio Spinosa, explicou que o edital seguirá o conceito do Novo Arranjo de Pesquisa e Inovação (NAPI) – Atenção Primária de Saúde. Segundo ele, este NAPI nasceu da necessidade de a atenção primária (prestada nos municípios) ser a ordenadora e coordenadora do cuidado ao cidadão. “Com esta iniciativa, é possível realizar pesquisas que tornem o sistema de saúde do Paraná mais inteligente, eficiente e econômico”, ressaltou Spinosa.

Programa

O programa é uma parceria com o Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Secretaria de Estado da Saúde.

“Foram meses de uma construção árdua, mas sólida de um programa que se constitui como um dos mais robustos de fomento à pesquisa na área da saúde no Brasil”, disse a coordenadora do PPSUS do Paraná e responsável pela Comissão da Saúde da Fundação Araucária, Priscila Tsupal. “O Programa de Pesquisa SUS está cada vez mais consolidado no Estado, considerando a relação afinada da Fundação Araucária, a Superintendência de Ciência Tecnologia e Ensino Superior e a Secretaria da Saúde, com as ações voltadas para a área de fomento à pesquisa e inovação em saúde”.

Novas linhas

Essas novas linhas são: estudos sobre o impacto da Covid-19 na atenção materno-infantil; condições crônicas não transmissíveis; desenvolvimento de tecnologias para enfrentamento da Covid-19; avaliação da rede de atenção à saúde sob o contexto da emergência em saúde pública desencadeada pela Covid-19; e avaliação econômica das ações para enfrentamento do coronavírus.