119 casas para famílias em vulnerabilidade serão concluídas em setembro em Cantagalo

Devem ser concluídas até setembro as obras de construção de 119 casas populares na cidade de Cantagalo, na região Centro-Sul

Devem ser concluídas até setembro as obras de construção de 119 casas populares na cidade de Cantagalo, na região Centro-Sul do Paraná. O projeto, que também envolve trabalhos de requalificação urbana, urbanização e regularização fundiária, vai atender famílias em situação de vulnerabilidade social, que receberão as novas moradias gratuitamente do Governo do Estado.

A construção está recebendo R$ 10,8 milhões de investimentos do Governo do Paraná, obtidos via financiamento junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O trabalho conjunto contou com a coordenação da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), a assessoria técnica e fiscalização de obras pela Cohapar e doação da área pela Prefeitura de Cantagalo.

Nesta quinta-feira (1), técnicos da Cohapar vistoriaram a construção. Segundo o chefe do escritório regional da companhia, ElmarVornes, o projeto está em fase final, com a instalação de alguns acessórios de acabamento. “As casas estão prontas, faltando apenas instalar algumas peças, como torneiras e pias, o que é um procedimento normal para evitar vandalismo e roubos”, informa.

Neste momento, também estão sendo finalizados os muros de arrimo, que garantem a segurança dos futuros moradores. “É uma parte importante do empreendimento, que garante a estabilidade das casas”, conclui Vornes.

Empreendimento

O conjunto habitacional conta com 115 casas novas, de 42 e 50 metros quadrados, além de modelos de 49 metros quadrados adaptados para pessoas com deficiência, conforme cota de atendimento da política estadual de habitação. Outras quatro moradias já existentes na região e que estavam em condições regulares foram completamente reformadas.

De acordo com o prefeito de Cantagalo, João Konjuski, a Vila Chimin era um bairro muito carente e a obra está sendo uma injeção de ânimo para todos os moradores.

“Essa obra é importante porque, além da moradia digna, o empreendimento criou uma expectativa de crescimento para o nosso município”, comemora. “Estamos muito contentes, as casas são muito lindas, mais do que a gente esperava. Os moradores estão muito animados para a conclusão”.

Ajuda bem-vinda

A expectativa de Idilmara da Luz, de 27 anos, é a melhor possível com a perspectiva de mudança para o novo lar no segundo semestre. “No começo a gente ia praticamente toda semana acompanhar a obra, mas agora nesse finalzinho demos uma parada porque estou muito ansiosa”, destaca.

Segundo Idilmara, atualmente desempregada, sem o apoio do poder público seria impossível sair da condição precária da antiga casa. “Eu e meu marido não teríamos conseguido fazer uma casa bem feitinha tão rápido assim”, relata. 

Projeto

De acordo com os critérios do programa, os moradores cadastrados deverão permanecer por pelo menos dez anos nos imóveis e manter as crianças no ensino regular, com fiscalização da prefeitura. Apenas depois deste prazo elas receberão as escrituras definitivas e poderão vender ou alugar as casas.

Além da infraestrutura urbana, com ligação elétrica, saneamento, água tratada e asfalto, a nova Vila Chimin contará com um parque público com equipamentos comunitários, área de lazer, com academia, playground e pista de corrida.

Os futuros moradores estão recebendo apoio psicológico e emocional de técnicos do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do município. Eles também receberam um aluguel social de R$ 480 por mês da Sejuf para garantir um lar temporário durante todo o período da obra.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail