Confira 3 dicas para resolver o problema da conexão de Wi-Fi ruim

Muitas vezes, a causa na baixa velocidade da internet não tem a ver com a banda contratada, mas com o roteador de distribui o sinal

Acontece, as vezes, de uma pessoa usar a internet, perto do roteador e mesmo assim o vídeo ou foto que está tendo acessar só carrega e não abre nunca, ou uma página não atualiza. E quando finalmente carrega, é com uma qualidade baixa, além de o smartphone travar o tempo todo.

Por que isso acontece? Esta é uma pergunta que muitas pessoas fazem. E o primeiro pensamento que surge é que o problema está relacionado com a velocidade da internet, pois é comum imaginar que a “culpa” é do serviço de dados não é capaz de gerar uma conexão rápida. Nesse caso, algumas pessoas trocam de plano ou de operadora e acabam descobrindo que o problema continua.

Para saber o que fazer em situações como essa, analise outros detalhes que podem estar atrapalhando o desempenho da rede Wi-Fi. O fator mais comum para a baixa velocidade da internet não é apenas a banda contratada, mas o roteador de distribui o sinal.

Para saber mais sobre isso, confira algumas dicas para resolver o problema do Wi-Fi ruim.

Roteador mais potente

Se levarmos em conta um ambiente com poucas pessoas, poucos aparelhos e serviços que não exigem muitos dados, um roteador mais simples serviria. Mas essa não é a realidade da maioria das pessoas, que geralmente precisam do sinal de internet em lugares não tão próximos do roteador, além de precisarem de suporte para aparelhos conectados com serviços pesados. Nesse caso, não é necessário apenas um pacote de dados maior, mas um roteador mais potente.

Escolhendo o roteador

Para escolher o roteador certo, leve em conta alguns detalhes essenciais. A empresa Qualcomm, que fabrica chips, famosos pela conectividade, afirma que a capacidade da rede gerada pelo roteador seja, no mínimo, duas vezes maior que a velocidade da banda larga contratada.

Ou seja, falando em equipamentos, é preciso usar roteadores e smartphones com tecnologias como o Wi-Fi 5, com Multiple-Input, Multiple-Output (MIMO) 2×2 para velocidades de banda larga de até 300 Mbps. MIMO significa, em tradução literal, múltiplas entradas e saídas.

Essa tecnologia conta com duas antenas, que recebem os dados, e mais outras duas antenas que enviam o sinal, representando uma conectividade diferenciada, seria a possibilidade de dobrar a capacidade de conexão entre os dispositivos da rede.

Para quem possui uma rede mais veloz, é recomendável ter um roteador Wi-Fi 6 ou 6E com suporte às tecnologias MIMO 4×4 ou 8×8. Esses tipos de roteadores são mais potentes e, além disso, tem a capacidade de fazer os aparelhos economizarem energia, pois oferece uma rede de conexão mais estável.

Onde instalar o roteador

Ter um roteador mais potente resolve o problema? Não. Outro fator crucial no desempenho da conexão com a internet, é o local onde o dispositivo está instalado. Esta parte é a mais simples de se entender, pois quanto mais longe do roteador, pior fica o sinal.

Então, a dica é: instale o roteador em um local central da casa ou escritório, para que as frequências atinjam todos os ambientes com a mesma intensidade. Leve em conta que os objetos fazem o sinal da rede piorar. Janelas, espelhos, vidros e até água de aquários prejudicam a transmissão dos dados; paredes de tijolos provocam uma obstrução mediana, o concreto e a laje são as barreiras que mais bloqueiam o sinal e os metais bloqueiam totalmente.

Analise também as opções existentes no mercado de redes Wi-Fi Mesh, que oferecem conexões em mais de um aparelho, ampliando a cobertura do sinal para lugares mais longes e amplos. Outro benefício é a maior estabilidade na criação de a rede única para todo o ambiente, evitando o impedimento de se conetar e desconectar, que acontecem diversas vezes.

Roteador preparado

Será que o problema com a conexão não está no aparelho? Com os smartphones, verifique se existe compatibilidade com as tecnologias de rede mais recente, para aproveitar do que o roteador pode oferecer. Quando foi comprar um smatphone, veja qual a rede Wi-Fi que ele suporta. A tecnologia recomendada é a Wi-Fi 6 e 6E, que corresponde ao padrão 802.11ax. O mínimo aceito pelo smartphone é a rede Wi-Fi 5, pois a geração anterior, o Wi-Fi 4, não é capaz de atender as necessidades de conexão atuais, estando abaixo do recomendado para poder utilizar os dados do roteadores.

Com outros dispositivos, como notebooks e smart TVs, pesquise e faça a mesa avaliação da melhor conexão disponível para você.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail