Coordenador da Frente do Coronavírus na Assembleia visitará fábrica da Fiocruz no Rio de Janeiro

A visita técnica à fábrica de vacinas do Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Rio de Janeiro ocorre na próxima quinta-feira (10).

O deputado Michele Caputo (PSDB), coordenador da Frente Parlamentar do Coronavírus na Assembleia Legislativa do Paraná, confirmou nesta quinta-feira (3) que fará visita técnica à fábrica de vacinas do Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Rio de Janeiro. A ideia é buscar detalhes sobre a produção do imunizante contra a covid-19 desenvolvida pela Universidade Oxford, em parceria com a AstraZeneca.

A visita ocorre na próxima quinta-feira (10), a partir das 14 horas. Além de conhecer as instalações, a comitiva da Frente Parlamentar do Coronavírus também terá uma reunião com a diretoria do Instituto.

“Queremos ver de perto o que está sendo planejado e saber mais detalhes sobre essa vacina que poderá estar à disposição dos paranaenses. Com isso, cumprimos nosso papel de fiscalização, próprio do Legislativo”, comentou o deputado.

O Ministério da Saúde conta com mais de 100 milhões de doses nessa parceria. Parte será produzida na planta da Fiocruz no Rio.

Nova vacina – A fábrica da Fiocruz, órgão vinculado ao Ministério da Saúde, está produzindo uma vacina em parceria com a farmacêutica europeia AstraZeneca e com a Universidade de Oxford da Inglaterra.

“Vamos continuar muito atentos com relação a isso. Tudo que se faz, que se propõe é importante e a solução final para isso é a vacina. A visita lá é para obter informações importantes para que a gente possa cumprir com a nossa missão, como fizemos na frente parlamentar”, completou.

Representante do legislativo estadual, Caputo também já esteve no Tecpar, no Instituto Butantan e na Pfizer, outras fábricas que estão na corrida pela vacina contra a Covid-19.

No próximo dia 15 de dezembro, a Frente Parlamentar do Coronavírus deve fazer a última reunião do ano justamente para apresentar um relatório sobre a situação das vacinas no Brasil. O objetivo é contribuir com o Governo do Estado na escolha de uma vacina a ser adquirida, visto que o Estado terá R$ 200 milhões destinado para a compra. R$ 100 milhões foram repassados pela Assembleia Legislativa e outros R$ 100 milhões constam do orçamento 2021 do Estado para essa finalidade.