Custo de produção de aves e suínos é afetado pela inflação e defasagem nos preços

As despesas na avicultura tem a ver com o custo variável, operacional e o custo total, que ultrapassam o lucro obtido pelos produtores, atualmente no vermelho

Segundo levantamento feito pela Federação da Agricultura do estado (Faep), por conta da alta da inflação e da defasagem nos preços a produção de aves e suínos continua sendo afetada. As margens de lucro não são suficientes para arcar com os custos de manutenção da atividade.

As despesas na avicultura tem a ver com o custo variável, operacional e o custo total, que ultrapassam o lucro obtido pelos produtores, atualmente no vermelho. O saldo sobre o custo total de novembro de 2021 a maio deste ano foi negativo para o frango griller e para o pesado, sendo que em maio desse ano e novembro do ano passado o saldo negativo era menor. O prejuízo consta em R$ 0,48 por ave entregue. A Faep informa que as margens se estreitam a cada novo levantamento semestral.

Já na suinocultura o levantamento mostra preços defasados, com o custo total por cabeça chegando a R$ 66,04, e a receita do produtor em R$ 46,67. O que significa um prejuízo de R$ 19,17 por leitão.

A receita não pode cobrir os gastos de uma das principais atividade da pecuária desenvolvida no Paraná. Para um segundo semestre menos pressionado, a Faep indica três eixos essenciais: abertura dos portos chineses, entrada de novos mercados e aumento no consumo doméstico.

70% dos custos totais na prática vem da alimentação. Na avicultura o mesmo percentual de custos vem da mão de obra, energia elétrica e do aquecimento.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail