Documentário mostra a vida do monge São João Maria

O Museu Paranaense (Mupa) promoverá nesta segunda-feira (19), a partir das 17 horas, um debate online sobre o documentário “A

O Museu Paranaense (Mupa) promoverá nesta segunda-feira (19), a partir das 17 horas, um debate online sobre o documentário “A Maravilha do Século” (2019), que retrata a vida do monge João Maria, também conhecido como São João Maria. O encontro vai contar com a participação da diretora do filme, Marcia Paraiso, e dos pesquisadores Alexandre Karsburg e Tânia Welter. O debate será mediado pela arqueóloga do Mupa, Claudia Parellada.

O público interessado poderá assistir ao documentário na íntegra e gratuitamente entre os dias 16 e 18, período em que o material será disponibilizado. A temática do documentário está relacionada com o evento que o Museu promoveu em março, com foco nas benzedeiras paranaenses.

“O debate será uma ótima oportunidade para que os interessados na figura do monge João Maria possam conhecer mais aspectos de sua vida, bem como entender os outros contextos nos quais ele é cultuado. A atividade dá continuidade às ações desenvolvidas pelo Mupa que, em 2021, tem como eixo norteador a cultura popular”, afirma a gestora de conteúdo do Museu, Giselle de Moraes.

Para a diretora do Mupa, Gabriela Bettega, a perpetuação da memória oral que reverencia uma fé livre dos dogmas tradicionais é de enorme importância para se recuperar a memória da história.

Documentário

Em 1861, o italiano Giovanni Maria de Agostini foi fotografado em Havana, Cuba, sendo o primeiro registro fotográfico que se tem notícia sobre ele. A foto circulou pelas ruas em forma de cartão postal e foi batizada como “A Maravilha do Século”. Agostini poderia ter passado despercebido por seus feitos aventureiros de andarilho das Américas se não fosse a tradição religiosa que iniciou.

A documentarista Marcia Paraiso ouviu falar de João Maria – como é conhecido pelos caboclos do planalto de Santa Catarina – quando filmava pela região. Chamado de “profeta”, “monge” ou “São João Maria”, a forma como seus seguidores perpetuam uma memória oral que reverencia uma fé simples, distante dos dogmas da Igreja tradicional, próxima aos conhecimentos relacionados às ervas e respeitando a natureza, fez com que ela se interessasse em contar sua história.

Filmado nos estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e ainda no México, Peru, Cuba, Estados Unidos e Itália, “A Maravilha do Século” reúne espiritualidade e materialidade – provas da passagem de Agostini pelo mundo.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail