Cidades da Cantu fazem parte da Rota do Queijo, roteiro de turismo rural de queijarias

Segundo Terezinha Freire, coordenadora do Turismo Rural do IDR-PR, a ideia é mostrar através do turismo rural a opção do queijo paranaense

Esta semana, no Show Rural em Cascavel, produtores de pequeno porte das cidades de Cantagalo, Guaraniaçu, Nova Laranjeiras e Pinhão estão representando a Cantu, que está inserida na Rota do Queijo. Segundo Terezinha Busanello Freire, coordenadora estadual do setor de turismo rural do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR), a rota do queijo é um projeto que envolve programas do IDR e o turismo rural.

“A parceria idealizou a proposta de roteirizar as queijarias do Estado, as quais são atendidas pelos programas de agroindústria da instituição. O objetivo é mostrar, através do turismo rural, a opção do queijo paranaense, atraindo o turista para os produtos de alta qualidade que temos no estado”, ressalta a coordenadora.

Paraná produtor de leite

O Paraná é o segundo maior produtor de leite do Brasil, e com isso busca-se congregar as queijarias de pequeno porte, com escala artesanal de fabricação. Terezinha explica que não há um tipo apenas de queijo oferecido, como por exemplo apenas o colonial ou o de leite cru. São diversas qualidades que sugerem o queijo paranaense.

“Temos diversos tipos de queijo, desde o queijo maturado por mais tempo, ou maiores períodos de tempo, até os queijos mais frescos em termos de data de fabricação, assim como os tipos de queijo que temos na rota”, enfatiza. “O queijo colonial maturado é o que mais predomina em praticamente todas as agroindústrias, mas o turista que visitar as queijarias terá também outras opções”.

Objetivo do projeto

O projeto visa atrair o turista diretamente para a propriedade, para conhecer o processo de fabricação e elaboração do queijo, e que ele possa degustar destes diferentes sabores em diferentes lugares. “Que a partir dessa experiência possamos ter a visibilidade, e que o turista possa conhecer e passar a valorizar os produtos locais e os produtos do estado”, afirma Terezinha.  Através do turismo rural, e deste projeto viabiliza-se uma nova opção de renda para os agricultores que estão nesta linha agroindustrial.

Requisitos para ingressar

O produtor que tiver interesse em entrar na Rota do Queijo, conforme a coordenadora, só poderá se cadastrar se tiver o registro sanitário. O registro deve ser do serviço de inspeção municipal, estadual ou federal. “As queijarias informais de dentro de casa, infelizmente não conseguimos pôr na rota, pois estamos divulgando um produto que precisa de muita qualidade, e que gere a segurança alimentar pro consumidor, no mesmo processo que é comercializar em qualquer outro estabelecimento do gênero”.

Auxílio nos registros

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), vem auxiliando o projeto turístico com os registros que estão sendo realizados dos novos cadastrados na rota. A queijaria que adentra esse processo envia uma cópia do registro, e a partir disso começam-se as etapas de preparação da propriedade para o turismo, a montagem de material publicitário e a divulgação dessa agroindústria como roteiro.

“O passaporte para viajar pela rota do queijo, é a disponibilização pelas queijarias de uma carteirinha, a qual o turista vai carimbando em todas as empresas que ele visitar pelo estado”, explica Freire.  Por fim, o objetivo principal é que a rota seja algo dinâmico, e que a cada momento novas queijarias se qualifiquem para entrar no roteiro e receber os turistas.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail