Programas de incentivo e retomada do esporte no Paraná são apresentados aos deputados

Reunião contou com a participação do superintendente de Esportes, Helio Wirbiski, que falou do investimento em diversas áreas

O valor que o estado investirá na retomada do desenvolvimento ações esportivas, programas e incentivos aos atletas paranaenses após a pandemia da Covid-19 é de R$ 108 milhões. O valor foi apresentado pelo superintendente do Esporte do Estado, Helio Wirbiski, aos deputados estaduais durante reunião da Comissão de Esportes, presidida na Assembleia Legislativa do Paraná pelo deputado Douglas Fabrício (CDN).

“Estamos apresentando algumas novidades de retomada do esporte paranaense. Temos um investimento de R$ 100 milhões e para o esporte é muito dinheiro”, disse Wirbiski.

De acordo com o superintendente o valor está dividido entre convênios de apoio aos municípios, incentivo fiscal e recurso próprio. Entre as atividades previstas estão os Jogos de Rendimento, Jogos de Aventura e Natureza, Verão Maior, Pedala Paraná, Jogos do Idoso, Escola do Surf, além de uma ampla reestruturação do Ginásio do Tarumã, em Curitiba, que se transformará em uma arena para 12 modalidades esportivas. “No Ginásio Tarumã a ideia é transformar em uma arena esportiva para que possa receber eventos nacionais. Dar toda a condição para que o Tarumã se torne uma arena, e junto ao Tarumã iremos construir a maior pista de skate do Paraná”, relatou.

O superintendente também falou sobre o projeto Pedala Paraná que tem como objetivo fortalecer o turismo de bicicleta por diversas ciclorrotas pelo estado. “São 80 ciclorrotas que vão apoiar o turismo do pedal. Deve ser lançado no mês que vem e está ligado ao plano de ciclomobilidade no estado do Paraná. O esporte de pedal é um dos que mais crescem no país e também servirá para apoiar o turismo e a economia dos municípios”.

Geração olímpica

 Daqui a 10 dias terá início as Olimpíadas de Tóquio. O Paraná estará presente no maior evento esportivo do planeta com 35 atletas do projeto Geração Olímpica, o maior número alcançado dentro do programa. Em 2016, foram 34 atletas. “Hoje o Paraná é um grande celeiro de geração de atletas olímpicos e assim queremos continuar. No segundo semestre vamos abrir mais vagas”, relatou o superintendente.

Na edição 2021, que comemora os 10 anos do projeto, o investimento será de R$ 4,75 milhões, com a oferta de 1.250 bolsas. Neste período, mais de 10 mil atletas e técnicos do Paraná receberam bolsas de apoio.

Apoio

O superintendente agradeceu ao apoio da Assembleia Legislativa e dos deputados estaduais ao esporte do Paraná. Em 2020 foram repassados, através de emendas parlamentares, R$ 35 milhões. “O esporte dá visibilidade, traz inclusão. É uma ferramenta mais barata e inclusiva. Agradeço aos deputados. Talvez neste ano ainda dê tempo de nos ajudar nessa área de materiais esportivos através do programa Paraná mais Cidades”.

Wirbiski também falou do apoio aos projetos de capacitação de secretários de esportes e professores de educação física para trabalhar com pessoas com deficiências. Equipamentos são distribuídos e é necessário que esses profissionais saibam como trabalhar. Essa capacitação, segundo o superintendente, será realizada de forma gratuita através de um convênio com o Comitê Paralímpico Brasileiro.

Ele disse ainda que a Superintendência pretende criar uma política pública do esporte do Paraná. Para isso, foi realizado um convênio com a Universidade Federal do Paraná que realizou um diagnóstico esportivo no estado. Agora, as metas esportivas serão discutidas com os municípios, através das Câmaras de Vereadores, para que no futuro um projeto possa ser enviado à Assembleia Legislativa para a aprovação pelos deputados da política pública do esporte.