Paranaenses pretendem gastar mais neste Natal

Tíquete médio dos presentes terá aumento de 44% segundo Fecomércio PR. Moradores da região afirmam que pretendem gastar cerca de R$ 100

A pandemia não deve afetar as compras de Natal. Pelo contrário, neste ano, o número de paranaenses que pretendem presentear aumentou. De acordo com sondagem realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), 75,4% dos entrevistados têm a intenção de presentear. Em 2019, essa parcela era de 74,0%.
Observa-se que o distanciamento social forçado dos últimos meses fará com que as pessoas aumentem o valor dos presentes. Tanto que o tíquete médio terá um salto de 44%, ao passar de R$ 285 no ano passado para R$ 410,63. Ao que tudo indica, este será o Natal da compensação, já que muitas famílias não vão gastar em viagens e a ceia terá menos convidados, a tendência é caprichar nos presentes.
A maioria dos entrevistados, 40,8%, planeja gastar entre R$ 201 e R$ 500. Neste ano aumentou a parcela de paranaenses que pretendem investir mais em presentes: os que vão gastar entre R$ 501 e R$ 1 mil correspondem a 12,1%, ante 6,8% em 2019. Já os que vão despender mais de R$ 1 mil somam 8,8%, um aumento considerável em relação ao ano passado, quando apenas 2,3% planejavam desembolsar valores mais altos nas compras natalinas.
Os consumidores que planejam gastar um pouco menos, mantendo o orçamento na faixa de R$ 101 a R$ 200, correspondem a 26,7% neste ano, ante 37,8% em 2019. E os que vão gastar até R$ 100 somam 11,7%, sendo que no ano passado a parcela dos mais comedidos era de 14%.


Presentes dos leitores
O agrônomo Silmar Domanski, de Espigão Alto, afirma que não pretende investir muito em presentes. “Vou comprar apenas para minha mãe. Ainda estou em dúvida se uma flor ou uma roupa. Mas deve ser algo abaixo de R$ 100”, diz.
O paulista Marianno Neto que mora em Laranjeiras do Sul revela que pretende gastar em torno de R$ 100 para presentear alguns amigos, já que a família mora longe. “Geralmente dou vale-presentes por não conseguir me decidir sobre o que a pessoa gostaria”, diz. 
A professora Ana Paula Silva, declara que este ano pretende presentear os familiares apenas com lembrancinhas. “Esse ano foi bem complicado”, diz.


Tipo de presente
Os itens de vestuário serão a principal escolha dos paranaenses, com 67,3% das citações. Os brinquedos foram mencionados por 49,6%, juntamente com as lembrancinhas, com 41,9%. Outros produtos mencionados foram cosméticos (34,4%), calçados (31,5%), artigos de livraria (15,4%), comidas e bebidas (13,3%) e eletrônicos (7,3%).


Local das compras
Apesar das lojas físicas ainda serem o local preferido, as compras pela internet praticamente dobrarão em relação ao ano passado, saindo de 12,8% para 25,4% em 2020. As lojas do centro da cidade devem receber 42,0% do volume de consumidores e os shoppings, 23,8%, enquanto as lojas de bairro serão a opção para 5,8%. A sondagem também verificou que 10,6% dos consumidores ainda não decidiram onde comprar.


Forma de pagamento
O pagamento à vista será a preferência dos consumidores, com 51,0%, somando compras no cartão de débito (33,5%) e em dinheiro (17,5%). No entanto, observa-se queda no uso do dinheiro em espécie e crescimento dos pagamentos em cartão, como forma de evitar o contato com cédulas.
As compras parceladas no cartão somam 27,7% – ante 29,8% em 2019 – e para o vencimento serão de 20,2% – ante 11,0% em 2019.


Impactos da pandemia
Boa parte dos entrevistados, 79,1%, declararam que a pandemia de covid-19 impactou na decisão de compra, sendo que 67,5% disseram que houve influência no valor do presente e 41,3% no número de pessoas presenteadas.
 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail