Luizinho comemora bom início no Quedas e avalia Série Bronze: “têm umas nove equipes para brigar pelo acesso”

Por Juliam Nazaré Luiz Henrique de Paula está entusiasmado com o início de trabalho no Quedas. O treinador chegou para

Por Juliam Nazaré

Luiz Henrique de Paula está entusiasmado com o início de trabalho no Quedas. O treinador chegou para assumir o posto de Eurico Souza, demitido. Luizinho, como é conhecido, teve três dias para conhecer os atletas antes da estreia: vitória por 2×1, em 5 de junho, no Tarumã, contra a Acau, até então invicta na Série Bronze. O gol da vitória saiu a 10 segundos do término. 

“Começar um trabalho com uma vitória, ainda mais num jogo decisivo, era importante. Nos traz tranquilidade e confiança para que os atletas estejam mais tranquilos para entender a filosofia de jogo. A vitória mostrou um poder enorme do grupo. Vamos lutar com unhas e dentes pela classificação”. 

A campanha e a folga

O Quedas jogou quatro jogos. Perdeu dois, venceu dois e soma seis pontos. Está em 3º no Grupo B, dentro da zona de classificação para a 2ª fase. No entanto, o treinador espera colocar a equipe direto na 3ª fase. Para isso, precisa ficar no mínimo em 2º. 

No fim de semana passado, o Quedas folgou na terceirona. O próximo compromisso será no sábado (19), novamente no Tarumã, contra a Caçula. O período está sendo aproveitado pelo treinador para se entrosar mais com o plantel. “A folga nos permite ter mais tempo para desenvolver o modelo de jogo, para que os atletas absorvam as ideias”. 

Reforços

Luizinho espera contar com reforços para a sequência da temporada. “O elenco foi bem montado pela diretoria e pelo Eurico, com muitas opções. Estou identificando as necessidades, alguma carência. Passei para a diretoria, para que dentro da nossa realidade traga algumas peças. O grupo é bom e estou feliz. Se chegar um ou dois atletas, não significa que o grupo está fraco, mas que esses nomes agregarão aos que já temos”. 

O retorno

Luizinho volta ao Paraná após dois anos dirigindo o Botucatu/SP. Em 2017, ele conseguiu o acesso para a Série Prata com o Dois Vizinhos. No ano seguinte, dirigiu o Pitanga. “Amo o Paraná e quando fui convidado pelo Quedas, não pensei duas vezes para voltar”.

Ele acredita que a Série Bronze está com nível elevado se comparado ao último ano em que trabalhou na competição. “Não vou citar nomes, mas têm umas nove equipes com potencial para brigar pelo acesso”.