Berto Silva e Operário: um caso de amor

Quem foi ao Laranjão em alguma partida do Operário na Série Bronze de 2019 deve ter se deparado com Berto

Quem foi ao Laranjão em alguma partida do Operário na Série Bronze de 2019 deve ter se deparado com Berto Silva entre os torcedores. O prefeito de Laranjeiras do Sul é, declaradamente, um apaixonado e entusiasta adepto do Rubrão.

Na estreia da Série Ouro, por exemplo, Berto foi um dos convidados para assistir à partida contra o Cascavel. Ele ficou indignado com a atuação da arbitragem e reclamou colericamente durante e após o jogo. Embora o Operário tenha perdido por 3×0 naquela ocasião, o time de Luciano Bonfim se encaixou e não perde a seis jogos. São quatro vitórias e dois empates. Entre os triunfos, três contra equipes da Liga Nacional. Na quinta-feira (27), no Laranjão, o Rubrão fez a melhor apresentação da temporada: 3×0 sobre o Marreco.

Berto estava no ginásio e, após o jogo, exaltou a apresentação rubro-negro.

“Essa vitória significa a autoafirmação do time na competição. Jogamos muito bem contra o Cascavel e perdemos o jogo. Perdemos muitos gols quando estava 0x0 e pagamos tributos aos próprios erros. E teve também, na minha opinião, alguns erros de arbitragem. O fato é que o time vinha jogando muito bem fora de casa – ganhamos de Umuarama e Campo Mourão – e faltava uma grande exibição no Laranjão. Que aconteceu hoje. Foi um 3×0 que poderia ter sido cinco ou seis. Só deu o Operário”.

Crescendo no momento certo

O prefeito-torcedor reconhece o alto nível do estadual, mas acredita que o Operário conseguirá manter o nível alcançado na competição. Atualmente, a equipe está em 3º, dentro do G4, que dá classificação direta para a 3ª fase.

“Dá para manter esse nível, sim. Acho que ganhar de um time de renome nacional, como o Marreco, e jogando bem, botando os caras na roda, dá autoconfiança para o time seguir bem na temporada. O jogo de hoje foi um divisor de águas. É claro que há muito o que remar para garantir a classificação, mas acho que estamos no caminho. Percebo uma clara evolução do time jogo a jogo. E isso está ocorrendo no momento certo, na hora em que as coisas estão se definindo”.

Fanático, sim senhor

Para Berto Silva, o sucesso do Operário significa o progresso de Laranjeiras do Sul. A cidade de 32 mil habitantes é representada pela primeira vez no seleto grupo da Série Ouro. São 16 clubes de 16 municípios O Paraná tem 399 municípios. Portanto, apenas 4% estão no cenário.

“Sou fanático porque amo essa cidade e tudo o que diz respeito à ela diz respeito a mim. Adoro futsal e a prefeitura está dentro deste projeto. A gente se envolve dentro e fora dos jogos. É um prazer estar vivendo esse dia a dia. É necessário entender que o Operário leva a marca Laranjeiras do Sul. Noutro dia, eu estava numa reunião com a alta cúpula da Sanepar e de repente os diretores começaram a falar do Operário. Quem acompanha futsal no Brasil sabe que o time existe e que é campeão da Bronze, da Prata e que está muito bem na Ouro”.

Saudades do microfone

Em 2005, Berto Silva foi eleito prefeito de Laranjeiras pela primeira vez. Antes de ingressar na política, ele fez sucesso na cidade como radialista de programas de entretenimento e também em transmissões esportivas. Berto passou pelas rádios Campo Aberto, Educadora e São Francisco. O prefeito sente saudades da época.

“Às vezes, quando estou sendo entrevistado, me confundo e viro cronista esportivo. Gostava muito. Trabalhei por muito tempo na Rádio Colméia de Cascavel. Fiz muito futsal, já que a emissora acompanhava o Cascavel, um timaço seguidamente campeão da principal divisão do estado. Eu acompanhava as rodadas de quarta e sábado, e no domingo o time da cidade no futebol”, recorda.

Quando não vai ao Laranjão, Berto gosta de acompanhar as partidas do Operário pelo rádio ou pela televisão. Ele acredita que o sucesso da modalidade se deve, também, ao trabalho feito pela imprensa.

“O trabalho de vocês (imprensa) é muito importante. O futsal não existiria sem a crônica esportiva. O que move as paixões, o que fomenta essa paixão chamada futebol/futsal é a crônica esportiva. Sem ela – rádio, jornal, TV – o futebol não existiria da forma como conhecemos”.