Dia das Crianças: expectativa da Acils é aumento de até 4% nas vendas

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) projeta uma retração de 4,8% nas vendas no país

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) projeta uma retração de 4,8% nas vendas no país para o Dia das Crianças, comemorado na próxima segunda-feira, dia 12 de outubro. Segundo os dados da pesquisa divulgada ontem pela entidade, esta é a primeira retração depois de quatro anos, mas não é a pior já registrada, pois a queda em 2016 foi de 8,1%.

Em Laranjeiras

Segundo a Associação Comercial e empresarial de Laranjeiras do Sul (Acils) a expectativa para o Dia das Crianças em Laranjeiras é um aumento de até 4% em comparação ao de 2019. Fatores como a melhora da economia, saques do FGTS e do auxílio emergencial geram maior otimismo no varejo.

Mas esse aumento não se aplica a todos os setores. No de calçados infantis os efeitos da pandemia continuam, como explica Sinara Lenz, gerente da Surek calçados

“Muitas pessoas ainda estão evitando de sair de casa, sem contar que como as crianças não estão indo para a escola, a demanda por calçados infantis diminuiu muito. Nesse setor a recuperação ainda está lenta”, conta.

No setor de vestuário infantil, a recuperação também é lenta, e os motivos são os mesmos do setor de calçados.

“Depois de uma queda grande nas vendas de produtos infantis durante a pandemia, as vendas voltaram a aumentar nesse Dia das Crianças, o que também ajuda é nosso crediário próprio, no qual parcelamos em até 10 vezes”, explica Lizandreia Giacomi, gerente da Lojas Leve.

O setor que teve o maior aumento de vendas foi o de brinquedos. E o pagamento quase sempre é a vista, com exceção de compras muito grandes, segundo Wences Crusciak Neto, administrador da Loja Marechal Utilidades.

“Tivemos um aumento de 30% com relação ao ano passado. As pessoas preferem pagar à vista para aproveitar nosso desconto de 10%”, conta.

No Paraná

 Segundo sondagem da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), 61,0% dos paranaenses pretendem presentear nesta data.

O percentual ficou abaixo da pretensão de compras registrada no ano passado, que foi de 68,2%. Mas, em média, o número de presenteados será maior neste ano porque aumentou a parcela de paranaenses que oferecerão o mimo para mais de três crianças.

Outro ponto positivo é que o tíquete médio subiu 24,0%, ao passar de R$90,33 em 2019 para R$111,99, apesar da crise econômica trazida pela Covid-19, sendo o presente uma forma de aproximação e superação do distanciamento social.

Vendas pela internet

A sondagem da Fecomércio PR também revela crescimento significativo nas vendas pela internet, que saíram de singelos 4,4% no ano passado para 21,7% em 2020. No entanto, a preferência continua sendo pelas lojas presenciais, que devem receber 55,7% do movimento de consumidores, ante os 90,8% verificados em 2019. As lojas do centro da cidade devem concentrar 28,3% das compras, contra 44,2% em 2019. As lojas de shopping terão decréscimo nos negócios, caindo de 21,8% para 15,0%, bem como as lojas de bairro, que baixaram de 24,8% para 12,4% na preferência dos compradores este ano.

Forma de pagamento

A forma de pagamento deverá mudar um pouco este ano. Deve haver uma queda no pagamento à vista, seja em dinheiro ou cartão de débito, que era a opção de 55,6% dos consumidores em 2019 e caiu para 49,1% em 2020. Em contrapartida, as vendas no cartão de crédito, com parcelamento ou para o vencimento, serão maiores, somando 50,3% neste ano ante 40,6% no ano passado. Esse aumento está relacionado à intensificação das compras on-line, onde o pagamento, na maioria das vezes, é realizado no cartão de crédito.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail