Direito de resposta ao Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Paraná

“Em resposta a matéria publicada “Se a greve não afetar as pessoas, ela não atinge seu objetivo” O Sindicato dos

“Em resposta a matéria publicada “Se a greve não afetar as pessoas, ela não atinge seu objetivo”

O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Paraná lamenta que parte da população ainda tem a ilusão de que haverá melhora nos serviços e baixa nas tarifas.
Longe de argumentos ideológicos, ou sindicais, a verdade é que economicamente são os Correios públicos quem regulam as tarifas atualmente praticadas. 
Exemplo disso é a alta de 80% nas tarifas durante a greve fabricada pelo atual governo.
Outro aspecto não abordado é o fato de que os Correios atuam não só como concorrentes mas como parceiros das mesmas empresas que querem sua extinção. 
Sem os Correios públicos, eles não tem a capilaridade logística para atender aos 5.570 municípios brasileiros, e tampouco prestarão serviços de caráter social como distribuição de livros didáticos, medicamentos, hemoderivados, leite materno, urnas eletrônicas e auxílio em calamidades.
Os “prejuízos” acumulados alegados pela atual direção da empresa decorrem do repasse em anos anteriores de todo o caixa da empresa aos cofres da união e a manobras contábeis e gastos para financiamento de planos de demissão que somados a falta de concursos – o último ocorrido em 2011 – foram determinantes para a queda na qualidade dos serviços prestados.

O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Paraná informam que não foram procurados, mas estão a disposição para maiores esclarecimentos e lamentam pelos transtornos causados a população em decorrência da intransigência da atual direção da empresa que não apresentou desde o início qualquer proposta de negociação, causando inclusive indignação dos ilustres Ministros do TSE.

Alexsander Soares Menezes 
Secretário de Formação e Estudos Socioeconômicos 
SINTCOM-PR
(42) 99972-3101 “

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail