Osmário segura nomes de secretários, mas garante 20% de mudança

Prefeito reeleito de Guaraniaçu elencou e comemorou feitos do 1º mandato e projeta o seguinte com continuidade

Guaraniaçu segue com o mesmo comandante. Reeleito em novembro, o prefeito Osmário Portela, de 65 anos, já atua pelo 2º mandato. Os primeiros dias estão sendo de projeção e organização da equipe e da “máquina” pública. Em entrevista exclusiva ao Correio do Povo do Paraná, ele avaliou os primeiros anos no cargo máximo do Executivo local e revelou os planos para o secretariado. 


Vida e política

Portela nasceu em Laranjeiras do Sul. Professor de Educação Física, reside em Guaraniaçu há 42 anos. Entre 1978 e 1992, foi secretário de Esportes do município, nos quatro anos seguintes, foi vereador. Candidato a vice-prefeito nas eleições de 1996, perde, mas volta a ser eleito vereador nos pleitos de 2000, 2004 e 2008. Tenta, pela primeira vez, em 2012, ser prefeito, mas só vence a eleição em 2016. Em novembro do ano passado, alcançou a carta-branca do povo guaraniasuense e renova o mandato. 


1º mandato

O prefeito mostra-se orgulho com o que conseguiu apresentar ao povo nos primeiros quatro anos no cargo. “Construímos e reformamos escolas e postos de Saúde. Recuperamos milhares de quilômetros de estradas, fizemos calçamento e asfalto na cidade. Até ônibus com serviço de bordo nós compramos para os pacientes que consultam em outras cidades”, diz.

No Esporte, ele elenca as reformas das praças esportivas e o desempenho do vôlei – reconhecido a nível nacional – como os tentos. Além disso, afirmou que tem prezado por desenvolvimento e geração de empregos na cidade. “Trouxemos grandes empresas para cá. Fizemos o Bolsa Família Municipal, demos uniformes para as crianças e estamos valorizando os servidores”, enfatiza. Ele ainda lembrou que na área cultural um dos trunfos foi projetar um dos maiores festivais de música do estado.


2º mandato: secretariado

Continuação. Osmário Portela usou esta palavra para definir o que pretende para os próximos anos de gestão. Tanto é verdade, que ele adiantou que manterá 80% dos secretários que terminaram 2020 em seus respectivos cargos. Embora ainda não tenha divulgado quem fica, chega e sai, ele anuncia que duas pastas serão – pelo menos temporariamente – incorporadas por outras. “Neste início da nova gestão, as secretarias de Indústria e Comércio e de Agricultura terão suas funções englobadas a outras”. 
As primeiras semanas de trabalho servirão para organização, explica o mandatário.