Protetores de animais realizam ação de conscientização em Laranjeiras

No bairro Presidente Vargas, membros da sociedade civil organizada explicaram da importância de melhorar as condições de vida dos bichinhos

Membros da sociedade civil organizada de Laranjeiras do Sul visitaram na semana passada famílias do bairro Presidente Vargas. O motivo das visitas foi encontrar mais informações para fortalecer a luta pela criação e operacionalização do Conselho Municipal de Bem Estar Animal (COBEAL) e propor ações visando o controle populacional de animais no município.

Durante a visita, que contou com a presença do vereador Ivaldonir Panatto, a equipe foi muito bem recebida pelos moradores. Além da conversa de orientação sobre a importância de melhorar as condições de vida dos animais, o grupo aplicou remédios para bicheiras e machucados, vermífugos e distribuiu ração para os animais. A ação foi possível graças ao empenho dos simpatizantes da Causa Animal e comércio local que doou ração, restos de alimentos, coleiras, seringas, medicação entre outros suprimentos.

“Constatamos o que já sabíamos considerando a realidade do centro da cidade mas, de forma potencializada: nos bairros periféricos a situação é caótica e envolve, efetivamente, questões de saúde pública em razão da grande quantidade de animais. Desejamos que a população compreenda a importância da causa e se envolva na cobrança por um projeto permanente de castração de fêmeas que tenha início imediato. E sempre que necessário socorram os animais, pois todos tem esta capacidade”, disseram os protetores.

COBEAL

Vale ressaltar que no início do mês, a Câmara aprovou em 1ª discussão o projeto de lei que cria o COBEAL. Conforme o projeto, o órgão colegiado, de natureza consultiva, fiscalizadora, propositiva, mobilizadora e permanente, será vinculado à secretaria de Agricultura e Meio Ambiente ou órgão municipal responsável pela execução das políticas públicas de proteção e bem-estar animal. A secretaria, por sua vez, prestará apoio técnico, administrativo e financeiro à entidade.

De acordo com o Art. 2º da Lei, o Conselho terá dezenas de finalidades, entre as quais, deliberar sobre as políticas de proteção e bem-estar animal. Também compete ao órgão auxiliar na proteção dos animais domésticos, silvestres nativos ou exóticos; desenvolver ações para conscientizar a população sobre a necessidade de adotar os princípios da guarda responsável; promover a defesa dos animais feridos e abandonados; solicitar e acompanhar ações dos órgãos que têm incidência no desenvolvimento de programas de proteção e bem-estar dos animais; colaborar e participar nos planos e programas de controle de zoonoses; incentivar a preservação das espécies de animais da fauna silvestre, entre outros.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail