Responsivo

Mulher é detida após matar, esquartejar e queimar marido

As investigações revelaram que a acusada chegou a utilizar o celular da vítima para contatar sua família no Nordeste para tentar ocultar o crime

Na manhã da última sexta-feira (22), a Polícia Civil do Paraná (PCPR) revelou detalhes estarrecedores de um crime ocorrido em fevereiro, que chocou a cidade de Toledo. Segundo as informações divulgadas, Taciana Ferreira da Silva, de 49 anos, é acusada de matar, esquartejar e queimar o corpo de seu marido, Edivan da Silva Almeida, de 51 anos, em uma residência no Centro da cidade.
O crime teria ocorrido entre os dias 15 e 16 de fevereiro, sendo reportado à PCPR de Toledo apenas em 1º de março. De acordo com o delegado Operacional, Fábio Freire, a motivação para o assassinato seria uma possível traição do marido.
Conforme os relatos das autoridades, Taciana teria adulterado bebidas alcoólicas com o medicamento Clonazepam, administrando quatro comprimidos ao esposo. Após perceber a deterioração da saúde dele, a acusada teria prosseguido com suas atividades cotidianas, retornando apenas ao fim da tarde, quando constatou o óbito do cônjuge.

Sem hesitação, Taciana teria então esquartejado o corpo de Edivan utilizando serras e martelos no banheiro, posteriormente incinerando os pedaços na churrasqueira da residência. Para encobrir o crime, ela teria falsificado atestados médicos do marido e os enviado à empresa onde ele trabalhava, alegando doença.
As investigações revelaram que Taciana chegou a utilizar o celular da vítima para contatar sua família no Nordeste, mas as conversas levantaram suspeitas entre os parentes, que notaram mudanças no padrão de comunicação. Buscas no celular da acusada revelaram pesquisas relacionadas a medicamentos letais, corroborando com a confissão do crime.
Após sua detenção, Taciana foi encontrada na posse dos cartões bancários do marido, embora não tenha realizado transações financeiras. Na residência, foram descobertos diversos medicamentos e veneno para ratos. A PCPR de Toledo ainda encontrou ossos da vítima na churrasqueira, que serão submetidos à perícia.
Taciana encontra-se sob custódia na Cadeia Feminina de Corbélia-PR, com prisão preventiva de 30 dias, passível de prorrogação. A Polícia Civil prossegue com as investigações para esclarecer todos os detalhes desse crime chocante que abalou a comunidade de Toledo.