Responsivo

Paraná decreta situação de emergência em saúde pública

A declaração possibilita uma distribuição mais ágil de recursos do governo estadual e federal aos municípios, agilizando processos como aquisição de insumos e medicamentos

Na última quinta-feira (14), o Governo do Estado decretou situação de emergência em saúde pública para a dengue, em resposta ao aumento significativo no número de casos e óbitos causados pela doença nas últimas semanas. A decisão, tomada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), tem como objetivo fortalecer as medidas de controle e combate à doença, conforme estabelecido pelo decreto 5.183/2024, com validade de 90 dias.

Declaração de emergência

O documento prioriza a intensificação das visitas domiciliares para identificação e eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti, além de recomendar o uso de larvicidas e reforçar a importância do cumprimento das diretrizes sanitárias do Sistema Único de Saúde (SUS), incluindo a colaboração da população nas ações de prevenção.

A declaração de emergência possibilita uma distribuição mais ágil de recursos do governo estadual e federal aos municípios, agilizando processos como aquisição de insumos e medicamentos.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, destacou que essa medida é preventiva e excepcional, visando fortalecer as ações de combate à dengue, em apoio aos esforços já em curso nos municípios. No último boletim epidemiológico, foram registradas 34.996 novas notificações, totalizando 90.972 casos confirmados e 49 óbitos no período sazonal 2023/2024. A incidência de casos autóctones no Paraná atingiu 697 casos por 100 mil habitantes, e 26 municípios já decretaram situação de emergência.

O Paraná é o 4º estado brasileiro com maior incidência de dengue, conforme o Informe nº 5 do Centro de Operação de Emergências (COE) do Ministério da Saúde, ficando atrás apenas do Espírito Santo, Minas Gerais e Distrito Federal.

Mobilização

O secretário também anunciou uma mobilização conjunta entre o Estado e os municípios para o próximo sábado (16), com o objetivo de intensificar as ações de limpeza e conscientização contra a dengue. Nessa iniciativa, equipes municipais e estaduais se unirão para reforçar a prevenção e controle da doença, com ênfase na orientação da população para a remoção de criadouros do mosquito Aedes aegypti.

“O combate à dengue é uma prioridade constante no Paraná, e neste sábado, convocamos todos os paranaenses para se unirem nessa luta. É essencial que cada cidadão contribua seguindo as orientações, especialmente no que diz respeito à eliminação de possíveis criadouros do mosquito em suas residências”, enfatizou.

Recursos

Recentemente, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou um aporte financeiro de R$ 93 milhões destinado a reforçar o combate à dengue nos municípios. Essa verba visa fortalecer as ações de prevenção, promoção e proteção da saúde, incluindo recursos para a aquisição de medicamentos, apoio a hospitais de referência e compra de tablets para aprimorar o trabalho dos agentes de campo.

Dengue

 A dengue é caracterizada por três fases clínicas distintas: a fase febril, que ocorre nos primeiros três dias após o surgimento dos sintomas; a fase crítica, que se inicia após o terceiro dia, marcada pela diminuição da febre e pelo possível aparecimento de sinais de alarme, como dor abdominal intensa, vômitos persistentes e sangramento de mucosas; e a fase de recuperação, que geralmente ocorre por volta do sexto dia, acompanhada de uma melhora progressiva do quadro clínico.

A secretaria de Saúde também destaca os principais sintomas da dengue: febre, dor de cabeça, fraqueza muscular, dores musculares, dores nas articulações e dor atrás dos olhos. Se apresentar algum desses sintomas, é recomendável procurar a unidade de saúde mais próxima.