Educação em tempo integral e guarda municipal: as propostas de Colombo

Vereador por quatro mandatos, o advogado de 50 anos concorre à prefeitura pelo Cidadania

Após a série de entrevistas com os candidatos a prefeito de Laranjeiras, o Correio do Povo do Paraná inicia nesta sexta-feira (6) a publicação das sabatinas com os postulantes ao Executivo de Quedas do Iguaçu. 
No município, são cinco os candidatos à majoritária: Anorosval Colombo (Cidadania), Bruno Motta (Podemos), Elcio Jaime (PSD), Jacaré (PDT), Marlene Revers (Pros) e Rafael Moura (MDB). A ordem de publicação no Correio levará em conta a ordem alfabética, iniciando hoje com Anorosval Colombo e findando na sexta-feira (13), com Rafael Moura. 


Colombo: trajetória
Natural de Renascença, filho de agricultores, Anorosval Colombo formou-se técnico agrícola e chegou a Quedas do Iguaçu para trabalhar na Emater há mais de 20 anos. Concluiu a faculdade de Direito – profissão que exerce atualmente. 
Na esfera política, Colombo venceu quatro pleitos para vereador. Entre 1997 e 2008, foram 16 anos no cargo, sendo que entre 2003 e 2006 exerceu dois mandatos como presidente da Câmara. Foi candidato a vice-prefeito de Quedas e a deputado estadual. Aos 50 anos, ele se lança ao que intitula como “maior desafio de sua vida”: ser prefeito da Terra dos Pinhais. 
Na chapa pura do Cidadania, ele conta com Darci Bernardo como vice. São três os candidatos a vereadores pela sigla: Dona Eni, Gilvani Papagaio e Heloiza Ganzala. 


JCPP: Porque você quer ser prefeito? 
Colombo: Para mostrar à população que existe maneira de aplicar bem os recursos e deixar o nosso povo satisfeito. Do contrário, não vale a pena entrar na política. Nós vamos administrar para todos. Vai chegar o momento em que o cidadão quedense dirá: “sou de Quedas. Lá tem gente trabalhadora, honesta. O município é pujante, o comércio é organizado e tem uma indústria em ascensão”. 


JCPP: Os índices de criminalidade em Quedas têm aumentado nos últimos anos. Embora seja uma atribuição do Estado, isso impacta na gestão do município. De que maneira você pretende enfrentar essa questão?
Colombo: Primeiro, iremos harmonizar o nosso povo. Desde quando eu era vereador, acreditamos que podemos implantar uma guarda municipal – não necessariamente armada. Não podemos ficar nos escondendo, jogando a responsabilidade para A ou B, pois é aqui o local onde escolhemos para criar os nossos filhos e viver em harmonia. A guarda municipal terá um papel importantíssimo num trabalho de apoio às Polícias Militar e Civil. 


JCPP: O que você destaca entre seus projetos para a educação?
Colombo: A educação em tempo integral, uma necessidade. Muitos se esquivam e dizem que isso não é de suas competências, mas a educação precisa ser prioridade. Iremos implantar o ensino em tempo integral em todas as escolas primárias. A base da educação são as creches e temos o problema dos horários. É o poder público que precisa se adaptar-se às necessidades da população e não o contrário. É o que nós iremos fazer. 


JCPP: Como pretende inovar na saúde?
Colombo: O doente precisa ser bem atendido. Precisamos acabar com as filas e valorizar o servidor público, para que ele trabalhe motivado. Iremos trazer profissionais qualificados e estruturar as unidades, para que possamos fazer a saude preventiva e curativa nelas. Não adianta sonharmos com um hospital de primeiro mundo, precisamos dar condições para que a população não fique doente e para isso precisamos tratá-la com diálogo, respeito e qualidade de vida. 


JCPP: O que mais os servidores públicos podem esperar em um eventual governo seu?
Colombo: Um colega de trabalho. O servidor precisa ser valorizado e não só no aspecto financeiro. O prefeito precisa saber que para uma administração andar bem ele depende dos servidores. Eles são o alicerce e precisam ser tratados com respeito. O que a legislação prevê precisa ser cumprido, sem que o servidor precise recorrer. Vamos rever as defasagens nos planos de salários. Não iremos assumir o cargo para ficar de choradeira. 


JCPP: Quais são seus apoios caso seja eleito?
Colombo: Os deputados Douglas Fabrício e Rubens Bueno são de grande expressão política. Mas não podemos nos limitar a um grupo partidário. Se os recursos estiverem disponíveis, nós iremos elaborar os projetos e, independente do partido a qual iremos recorrer, precisaremos fazer com que esses recursos cheguem e sejam bem aplicados.


JCPP: Por que o leitor deve votar em você?
Colombo: Porque me preparei muito. É um desafio único em minha vida. Estive ausente de mandato eletivo, mas não da comunidade. Durante esse período, analisei o que foi feito de bom e ruim no município. Vimos muita coisa deixada de lado. Estamos trabalhando numa campanha limpa, digna e de respeito ao povo. Acredito que a população será capaz de reconhecer isso.