Vice-prefeito de Cascavel, Renato Silva, é pré-candidato a deputado federal pelo Republicanos

Em entrevista ao Correio do Povo, ele fala sobre sua trajetória de vida e na política e o que motivou a se lançar agora como pré-candidato a deputado federal

Renato Silva, reside há cerca de 47 anos em Cascavel, cidade da qual é vice-prefeito. Em entrevista ao Correio do Povo, ele conta que já esteve muitas vezes em Laranjeiras como vendedor, onde comercializou farinha de trigo e açúcar por muitos anos.

Renato nasceu em Santa Catarina e foi criado na roça. Para ele a grande riqueza que traz consigo é a educação de berço que teve dos seus pais.

Foi o fundador da primeira instituição de ensino particular em Cascavel, a Univel Centro Universitário.

Além de vereador, o senhor já foi deputado federal suplente, já assumiu mandato e está vice-prefeito de Cascavel. O senhor, agora, é pré-candidato a deputado federal por quê?

Renato: Na verdade o que me move são os anseios que a sociedade tem, e como eu sinto que é um chamado, é um talento, é um dos dons que Deus me deu e que eu preciso colocar a serviço da sociedade. Nesse sentido, não posso me encolher dentro de mim e pensar de forma orgulhosa, soberba, precisamos inclusive, combater a soberba e as hipocrisias. Então, a política pode ajudar muitas pessoas, eu sou uma pessoa muito generosa, mas se eu vender o que eu tenho e começar a fazer caridade, eu não vou resolver o problema. Agora se houver uma política bem preparada, com projetos na educação, na cultura, no esporte, na saúde, no agronegócio, isso ajuda a melhorar a vida das pessoas. Por isso sinto que é um chamado, que posso contribuir muito ainda e a sociedade pode contar comigo, nunca brinquei de fazer política e não brinco de fazer educação. A política é um assunto muito sério, quando uma pessoa vota ela está contratando um operário para trabalhar numa obra para você. E é um contrato de 4 anos e que se não estiver a frente uma pessoa comprometida, verdadeira, com princípios, com a família, a moral, com a ética e etc., você acabará sendo governado por perversos. E quando se é governado por perversos, a população sofre, então eu quero  justamente atender as queixas da população e ajudar a defendê-los e ser um cidadão justo que a sociedade busca. Busca-se sempre um líder justo e eu tenho uma história de vida e de trabalho justa, sempre buscando fazer o bem, por isso gosto da política, porque acredito ser a verdadeira ferramenta capaz de ajudar uma nação inteira, por isso estou na vida pública com esse espírito, querendo contribuir.

O senhor tem uma raiz muito forte na educação, até mesmo por conta de ser um empreendedor do setor. E em relação ao esporte e a cultura, quais bandeiras de transformação você acha que devem ocorrer, principalmente quando se fala que o Paraná é um estado fragmentado, não existe uma cultura mas sim diversas culturas. E nesse sentido, investimentos muito tímidos em relação ao esporte.

Renato: A sociedade está um pouco na contramão em relação aos costumes. De cada centavo investido na cultura, no esporte, na educação, você economiza três no problema futuro. Se gasta muito pouco na prevenção dos problemas. É importante provocar o debate para que surjam ideias. Eu pretendo me dedicar com muito empenho a questões relacionadas a educação, agronegócio, cultura, esporte, educação, pois é possível transformar.

Estamos vivendo uma época de grande polarização no país. Qual é seu ponto de vista em relação a isso e aos impactos na nossa eleição estadual?

Renato: Não podemos negar que nosso governador, Ratinho Junior, é um homem de unidades, não é uma pessoa de conflitos nem de brigas, e é uma pessoa séria. Eu apoio ele, tanto quanto apoio nosso partido e o nosso presidente Bolsonaro. E eu vejo que nesse momento é a melhor opção para a população, renovar esse contrato por mais quatro anos com ele, do que colocar gente mal-intencionada, que vai ferir princípio e a nossa nação.

O combate a corrupção está na ordem do dia de diversos pré-candidatos e não deixa de ser um anseio da sociedade me geral. Essa questão também está na sua pauta quando se refere ao desperdício, do melhor custo, e do uso dinheiro público?


Renato: Sem dúvidas! Eu sou o vice-prefeito de Cascavel e poderia, se eu quisesse, ter 10, 15 assessores, mas só tenho uma pessoa. Eu poderia estar aqui em Laranjeiras hoje, em um cargo público com assessores por conta do povo, mas eu combato isso e dou exemplo.

O que nossa região pode esperar do Renato Silva deputado federal e qual vai ser o compromisso com os votos que fizer aqui e nos municípios da Cantu?

Renato: Vocês serão aliados sem dúvidas. Primeiro, acho que temos que descobrir mais as nossas vocações, acho que cada região tem uma vocação diferente. É necessário fomentar isso, discutir com a sociedade, chamar o povo, as lideranças a ajudarem a pensar como melhorar a nossa região. É possível sim a gente descobrir a vocação do nosso município, além do agronegócio, pode ser uma oportunidade de turismo por exemplo, pois é uma região rica, maravilhosa, ávida. Não tenham dúvidas que eu serei um parceiro para ajudar a pensar propostas para essa região e para melhorar a vida das pessoas.

O senhor gostaria de comentar mais alguma coisa?

Renato: Por fim gostaria de fazer um grande chamado que a sociedade pense que voto não tem preço, mas sim, consequência. Pensem em quem vão votar, no compromisso que essa pessoa tem, seus princípios, seu trabalho, sua responsabilidade. Isso é um trabalho muito sério, vamos contratar ou, então, recontratar, uma pessoa por mais quatro anos, por isso precisamos pensar muito bem na hora de votar e colocar pessoas de bem, esse é o desafio.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail