Escultor nova-laranjeirense faz sucesso com obras personalizadas em biscuit

O nova-laranjeirense, Álvaro de Oliveira Branco, é, além de biólogo e funcionário público da Vigilância Sanitária, artista plástico nas horas

O nova-laranjeirense, Álvaro de Oliveira Branco, é, além de biólogo e funcionário público da Vigilância Sanitária, artista plástico nas horas vagas. Apesar de ter interrompido com as esculturas por um período, devido à faculdade, assistindo a vídeos no YouTube ele decidiu retornar com o que sente tanto prazer em fazer, e aceitar encomendas.

Mesmo retornando com o hobby recentemente, a trajetória de Álvaro com as esculturas é bem antiga, e vem desde a infância. “Tudo começou como uma brincadeira. Eu sempre fui muito curioso e, com materiais de sucata fiz meus primeiros esboços. Um dos primeiros carrinhos era um tratorzinho, com carretel de linha. Usei um apontador para fazer o motor, um palito de fósforo como eixo dianteiro e botões de camisa para os pneus”, relembra ele.

Com o passar do tempo, ele passou a usar cera de abelha, a partir do que sobrava do que seu irmão tirava. “Comecei a brincar e o pessoal percebeu ali um trabalho diferente. Desde pequeno sempre gostei muito de animais, depois eu fazia pokemons, até ter acesso à pasta de modelar, que é aquela massinha das crianças na escola”, detalha.

Tanto a cera quanto a massa de modelar não são duráveis, então com o tempo as primeiras obras foram se deteriorando, o que levou Álvaro a utilizar massa de biscuit, isso por volta de 2006. O biólogo explica a massa é um pouco mais profissional e tem uma durabilidade melhor, o que permitiu que ele pudesse vender. “Mas era um trabalho muito primário, quase um treinamento”, conta.

As esculturas hoje

Atualmente, com o aprimoramento técnico e a qualidade dos materiais utilizados, que variam conforme as artes, o artista consegue ter uma renda extra e tabelar os preços. Considerando sua carga horária de trabalho formal, ele relata que o horário produtivo dele das 22 às 2 horas.

Cada escultura demanda tempo e materiais diferentes, e os preços finais são calculados a partir disto. Uma de suas obras favoritas, que é a escultura do Homem Aranha na batalha com Thanos, cena clássica de Vingadores Guerra Infinita, por exemplo, levou seis dias para ficar pronta. E Álvaro vende a um preço abaixo da média, a partir de R$ 300.

Além de esculturas grandes e complexas, o artista também faz carros, colheitadeiras, tratores, caricatura de pessoas, canecas e muito mais. “O que mais vendo são as canecas porque elas possuem uma maior abrangência devido aos preços acessíveis e a utilidade. Além de ser um presente diferenciado, com personalizações específicas, 3D e manual”.

O processo

O processo de esculpir possui uma base, que conta com uma estrutura de arame, papel-alumínio envolto com fita crepe, formando a primeira camada. Só depois do esboço ficar bem amorfo que se inicia o processo de detalhamento.

O que acontece a seguir depende do objetivo final do trabalho. “Tem alguns em que a massinha já vem colorida, outros em que são incolores eu vou pintando, mas depende muito da parte, por exemplo, a degradê para mim é mais interessante, porque misturo as tintas, sem usar massinha”.

Para mais informações sobre os produtos, entre em contato com Álvaro Branco através do telefone: (42) 9971-9404, ou no endereço eletrônico: https://www.instagram.com/alvobrancoartesminiaturas/