Candói: prefeitura realizou neste sábado (26), o Dia D, de combate a dengue

Uma equipe formada por agentes de endemias irá nas residências fiscalizar e informar sobre a prevenção

A prefeitura de Candói realizou neste sábado (26), o dia D de combate contra a dengue. E nessa campanha vários agentes de endemias, secretários, e responsáveis se reuniram para dar dicas de como prevenir a proliferação do mosquito.

Depósito de ovos

O agente de endemias Edson Rocha Alves, explica que o aegypti põe seus ovos em recipientes artificiais, tais como latas e garrafas vazias, pneus, calhas, caixas d’águas descobertas, pratos sob vasos de plantas ou qualquer outro objeto que possa armazenar água de chuva.

“O mosquito pode procurar ainda criadouros naturais, como bromélias, bambus e buracos em árvores”, ressalta.

João Márcio de Freitas, técnico de enfermagem e responsável pela atenção básica, ensina que a fêmea do aedes aegypti pode colocar até 500 ovos durante o seu tempo de vida, que varia de 30 a 45 dias, tempo suficiente para picar até 300 pessoas.

Já o agente de endemias Vagner Brasil do Amaral, relata que em condições ambientais favoráveis, as fases de ovo à forma adulta podem ocorrer em 7 dias. “Por isso, a eliminação de criadouros deve ser realizada pelo menos uma vez por semana para que o ciclo de vida do mosquito seja interrompido”, explica.

Criadouros

Para a enfermeira Valéria Piva dos Santos, devemos prestar atenção nos criadouros do mosquito. “Os criadouros se encontram muito mais presentes em casas habitadas. Conforme a Vigilância Epidemiológica, 80% dos criadouros com larvas do aedes aegypti são encontrados em residências com moradores e apenas 20% estão em casas fechadas ou abandonadas.

Wesley Veríssimo agente de endemias, expõe que é muito subjetivo o que é água suja. As pessoas entendem que água limpa é água filtrada. Mas a água que fica na calha, por exemplo, o aedes não considera suja. “Para o mosquito, é água relativamente limpa, que está em cima de alguma matéria orgânica depositada. A larva precisa dessa matéria orgânica como comida. Ele pode usar a água em que você lava a mão e deixa lá, a água que o cachorro bebe e deixa um resto de ração”, afirma.

Prevenção

A assistente social Melissa Souza, e a responsável pela Vigilância Sanitária de Candói, Camila Grellert Mocelin, chamam a atenção para a prevenção, com a retirada dos pneus das ruas em períodos chuvosos. “É muito fácil a água ficar parada dentro deles, o pneu é o segundo maior criadouro do mosquito aedes aegypti. Só perde para as vasilhas plásticas”, afirmam.

A secretária de Saúde Danielli Smuzek reitera a prevenção afirmando que a melhor ação é evitar o acúmulo de locais com água parada, onde o mosquito se prolifera. 

Tipos de dengue 

Por fim, o agente de endemias Alan de Paula, explica que há quatro tipos de vírus da dengue: Den-1, Den-2, Den-3 e Den-4. Eles pertencem à família Flaviridae e são vírus que só contêm RNA. Eles são da mesma família do vírus que causa a febre-amarela, e tanto a dengue quanto a febre-amarela são transmitidas pelo mesmo mosquito, o aedes aegypti.

Você sabia? Há quatro tipos de vírus da dengue: Den-1, Den-2, Den-3 e Den-4. Eles pertencem à família Flaviridae e são vírus que só contêm RNA. Eles são da mesma família do vírus que causa a febre-amarela, e tanto a dengue quanto a febre-amarela são transmitidas pelo mesmo mosquito, o Aedes aegypti.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail