Saúde incentiva a doação de leite materno durante a pandemia

Além de ter inúmeros fatores imunológicos que protegem a criança de infecções é o alimento mais completo que os bebês podem ter

A secretaria de Estado da Saúde afirma que mesmo nessa época de pandemia e de isolamento social, observou-se que a solidariedade está prevalecendo, o contexto vivido não impactou negativamente nas doações e estoques de leite, a quantidade coletada é considerada boa e acima dos índices nacionais.
A doação representa amor e as mães que participam desta ação merecem nosso respeito e admiração, principalmente diante deste momento tão crítico em que vivemos”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Atualmente o Paraná conta com 13 Bancos de Leite Humano e 18 Postos de Coleta. Em 2020, estes pontos coletaram cerca de 26 mil litros de leite, porém essa quantidade ainda é insuficiente para atender a demanda de todas as Unidades de Tratamento Intensivo Neonatal (UTIN) do Estado.

Doação na pandemia

Toda mulher lactante saudável e sem contato domiciliar com pessoa com síndrome gripal é uma doadora potencial de leite humano.

Para uma doação segura, além de seguir a Nota Técnica do Ministério da Saúde (MS), que apresenta as condutas para a doação de leite materno, a Sesa publicou no início da pandemia uma nota orientativa que apresenta orientações às equipes e profissionais sobre linha de cuidado materno infantil durante a emergência em saúde pública pela Covid-19.

“O aleitamento materno é prioridade na saúde. Desenvolvemos estratégias importantes para a promoção da amamentação e, mesmo durante a pandemia, a prática continua sendo incentivada e recomendada”, enfatiza a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti David Lopes.

Todas as recomendações de segurança para evitar a transmissão do coronavírus devem ser seguidas, conforme a diretora. “Práticas de higienização das mãos antes e após tocar no bebê, uso máscara facial e, no caso de extração do leite, a limpeza rigorosa do equipamento”.

A mãe Cristiane Padilha diz que gostaria muito que tivesse posto de coleta em Laranjeiras do Sul. “Eu tenho muita vontade de doar, e conheço várias mães que também gostariam, mas os centros mais próximos de nós é em Cascavel ou Guarapuava, fica tão difícil contribuirmos, e nós mães sabemos o quanto é importante a amamentação, assim como sabemos que muitas crianças precisam dessa ajuda”, relata.

Sensibilização

A Sesa pede auxílio aos profissionais de saúde que atendem gestantes e lactantes, quanto à sensibilização dessas mulheres para a doação de leite humano.

A doação de qualquer quantidade de leite materno pode ajudar a salvar vidas e proporcionar uma melhor recuperação dos bebês internados em unidades de tratamento intensivo neonatais. Toda doação, independentemente da quantidade, pode fazer a diferença na vida de diversos bebês.

Como doar

Para realizar a doação, é preciso entrar em contato com o Banco de Leite Humano ou Posto de Coleta mais próximo da residência. Para saber a localização dos Bancos de Leite Humano e Postos de Coleta do Estado acesse: FioCruz

Os Bancos de Leite Humano são serviços especializados criados para qualificar a assistência neonatal e contribuir para a redução da mortalidade infantil. Realizam a coleta e processamento do leite humano com rigoroso controle de qualidade e distribuem para bebês prematuros e de baixo peso de acordo com as necessidades de cada recém-nascido. Além disso, oferecem atendimento de orientação, manejo e apoio à amamentação.