Cantor Sérgio Reis tem shows cancelados e é alvo de operação da PF

Na manhã desta sexta-feira (20) a Polícia Federal iniciou uma busca e apreensão, expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), contra

Na manhã desta sexta-feira (20) a Polícia Federal iniciou uma busca e apreensão, expedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), contra o deputado federal e cantor Sérgio Reis, e o deputado federal Otoni de Paula. A investigação está averiguando incitações de Sérgio à atos violentos e ameaçadores contra a democracia.

Tudo começou por um vídeo vazado onde o cantor convoca caminhoneiros a saírem nas ruas para pedir o impeachment dos ministros do STF, a favor do governo de Jair Bolsonaro. Confira o vídeo:

Sérgio, aos 81 anos, foi eleito deputado em 2015 e segue até hoje no cargo, em entrevista Reis afirmou que tem acumulado prejuízos na carreira por conta dos cancelamentos que vem sofrendo após seu vídeo ter sido publicado por um amigo, como ele diz, da onça.

O cantor teve sua agenda de shows e propagandas cancelados: “Querem me massacrar. Já estou tendo prejuízo. Cancelaram quatro shows e dois comerciais que ia fazer agora. Tiraram do ar um que faço para um supermercado de Curitiba. Vão tirar por um mês do ar e esperar para ver o que acontece” disse o deputado.

Agentes da PF estiveram em endereços ligados ao cantor e ao deputado, incluindo seu gabinete na Câmara. Ao todo 13 mandados foram expedidos e autorizados pelo ministro Alexandre de Moraes, e atendem ao pedido da subprocuradora Lindora Araújo, da Procuradoria-Geral da República (PGR). Agentes da PF foram a 29 endereços no Distrito Federal, além dos estados de Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Ceará e Paraná.

A PF afirmou: “O objetivo das medidas é apurar o eventual cometimento do crime de incitar a população, através das redes sociais, a praticar atos violentos e ameaçadores contra a Democracia, o Estado de Direito e suas Instituições, bem como contra os membros dos Poderes”

Após a repercussão do vídeo, Sérgio completou: “Eu errei mesmo, errei muito. Não devia ter falado, porque as pessoas pensam… Falei com um amigo. Ele postou num grupinho. Um amigo da onça. É da vida. Estão me ameaçando, pensando que estou com medo. Mas não me escondi. Estou aqui em casa, não agredi ninguém. Arco com minha responsabilidade”.