Cinco livros nacionais para valorizar a fantasia brasileira

São inúmeras obras com mundos fantásticos que conquistam milhares de fãs do Brasil. Mas e os universos criados por brasileiros, onde estão?

Para prestigiar o Dia Nacional do Livro, celebrado em 29 de outubro, e valorizar os autores nacionais do gênero, selecionamos cinco livros que cumprem com todos os requisitos que os leitores de fantasia amam encontrar em uma obra! Seja em versão física, e-Book, no Wattpad ou ainda em audiolivro, opção é o que não falta. Confira:


As crônicas de Luthera
A história é ambientada em Luthera, onde a paz está sempre por um fio. A tensão entre os habitantes aumenta quando uma misteriosa bruma surge e começa a destruir toda a vida que lá existe. A salvação está em Gellian, único rapaz capaz de deter o vilão Amókito e o seu exército responsável pela praga.
O grande problema é que Gellian é inexperiente e possui um lado obscuro incontrolável… Fica a dúvida para o leitor: o protagonista será capaz de cumprir a profecia e salvar Luthera ou se renderá às suas fraquezas?


As relíquias perdidas
Bruxos, magos, deuses e criaturas mitológicas se misturam entre o mundo Feérico e Não Feérico, mágico e não mágico, no universo fantástico criado na Trilogia dos Sete.
Crick Angell descobre aos 15 anos que pertence a um mundo mágico e, além com a notícia, recebe uma missão: comandar uma alucinante viagem com objetivo de resgatar sete itens incomuns que dão ao seu possuidor uma magia absoluta. Duras provações aguardam Crick e outros seis jovens: juntos eles formam a Companhia das Relíquias. O destino dos dois mundos está nas mãos dos Sete!


Aretê
Habituado na Idade Média, o romance Aretê é mais do que um livro de contos de fadas. O enredo se desenvolve a partir do desejo de vingança de uma feiticeira maligna que deseja destruir o reino Régis e, consequentemente, os herdeiros do rei Arágon. Determinada a corromper toda a paz que se instaurou nas terras Régis, a temível e misteriosa Feiticeira do Leste pretende devastar a alma e o coração dos príncipes Shur e Maia, tornando-os mais sórdidos do que já são.
A valente princesa Raquel, com seu coração iluminado pelo Universo, luta com todas as forças para libertar o reino e seu povo das mãos do tirano Shur, seu irmão mais velho.  


Se pudesse contar as estrelas
Para onde vai quem nunca nasceu? Em um universo alternativo para as almas perdidas, a leitura inicia com pura emoção: Alison, personagem principal, desperta na Lagoa da Vida com nove anos de idade, sem memória alguma.
É isso que acontece com todas as crianças que chegam à Terra do Nunca. Ao ser levada para a Escola Bellatrix para compreender o que está acontecendo, Alison precisa encarar a realidade e também o seu futuro.


Os portões do inferno
Há trinta anos, os aventureiros Krispinus e Danyanna lacravam os Portões do Inferno definitivamente, detendo com uma magia fortíssima a invasão de milhares de demônios, impedindo que o horror e a eterna escuridão dominassem o mundo de Zândia. Para eles foram oferecidos os títulos de Grande Rei e Rainha do agora chamado reino de Krispínia. Zândia finalmente estava livre do maior perigo de sua história.
Agora, porém, uma ação completamente ousada traz um risco iminente: svaltares – os elfos das profundezas – marcham em direção aos Portões do Inferno, com a finalidade de reabri-los e trazer novamente o caos para a Terra. Traído por aliados em que confiava, Krispinus não possui forças para impedir que este sombrio exército se aproxime.