Cuidados para transportar animais de estimação em viagens

O veterinário Everton Bêe, da clínica Agroveb dá dicas de como deixar seu pet o mais confortável possível

Chegamos ao mês de dezembro e muitas pessoas irão viajar e levar seus animais de estimação. Porém para garantir a segurança e conforto durante o período em trânsito é necessário seguir uma série de normas.

Dados da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) revelam que 80% dos tutores transportam seus pets em desacordo com a lei, gerando penalidades para o condutor.

Antes da viagem é necessário trabalhar o lado psicológico do animal, adaptando ele ao automóvel, com atividades como fazer ele entrar e sair do carro, e até mesmo um passeio no parque para acostumá-lo com distâncias e o tempo dentro do veículo.

Conforme o médico veterinário Everton Bêe, da clínica Agroveb de Laranjeiras do Sul, alguns cuidados são importantes.

Transporte

Para levar em viagem, a legislação prevê o cinto de segurança próprio para o animal, ou a caixa de transporte. Solto é proibido.

Quanto à temperatura do carro, não se deve deixar muito baixa para evitar problemas respiratórios. “Para os animais a temperatura ambiente é a ideal”, explica o veterinário. 

Medicação

Everton orienta que medicação deve ser dada apenas se o animal for muito agitado. “Pode-se usar remédios ansiolíticos (calmantes), existem alguns que são de origem natural (fitoterápicos) e devem começar a ser administrados alguns dias antes da viagem”.

Para evitar vômito e desconforto nos pets, o veterinário explica quer existem remédios em forma de comprimido e de uso veterinário que devem ser administrados 24 horas antes da viagem. Mas é indicado somente àqueles que sejam muito ansiosos ou que tenham tendência a vômito.

Alimentação

Conforme Everton, para os cães, 4 horas antes da viagem deve começar o jejum de alimentos. Com gatos, o jejum começa 2 horas antes. “A água pode ser dada à vontade para ambos. É necessário fazer paradas com o carro de duas em duas horas, para que o animal possa fazer suas necessidades fisiológicas”.

O veterinário diz ainda, que só se deve alimentar o animal, se o trajeto da viagem for muito longo, todavia nesses casos deve-se optar pela pouca quantidade de alimentos e água.

O veterinário Everton Beê conta como manter a saúde e bem-estar do seu pet

Fogos de artifício: como proteger animais de estimação

Tradicionais nas festas de fim de ano, as queimas de fogos e rojões podem até ser um show à parte para humanos, mas para os pets, o estouro é quase que ensurdecedor. O som desses artefatos têm um nível que já é excessivo para nós, mas para os animais é ainda pior, e podem causar mudanças no comportamento, como agressividade, agitação, salivação em excesso, postura encolhida, tremores, hiperatividade e até a fuga.

Everton explica que é bom não levar animais onde haverá queima de fogos, “o ideal é que ele fique em casa, num ambiente seguro sem risco de fuga, que é o que acontece em muitos casos”.

Fechar portas e janelas, é uma prática para conter a ansiedade dos animais. Outra dica do veterinário é deixar a televisão, rádio e ventiladores ligados em volumes altos, para que ajude a dispersar o som dos fogos.

“É bom também criar um refúgio onde eles possam se esconder, fazer uma cabana, ou uma toca para que eles se sintam protegidos”.

O calmante natural que é usado em viagens também pode ser administrado dias antes do ano novo, para mantê-los mais calmos.

Dentista de cavalos: muito além da estética

Quer ficar por dentro das novidades? Então nos acompanhe pelo Facebook | Twitter | YouTube | Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail