Curso prepara servidores para atendimento de maus-tratos a cães e gatos

“Ele possui um conteúdo criterioso dentro da temática de crimes contra animais domésticos”

Para prestar um melhor atendimento a animais domésticos vítimas de maus-tratos, mais de 300 servidores do Instituto Água e Terra (IAT) participam de uma capacitação. O objetivo é proporcionar acesso à formação básica para profissionais alocados nos municípios, que vão poder auxiliar outros órgãos no atendimento de diferentes casos.
A iniciativa é uma parceria entre a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, a organização World Animal Protection e a Universidade Virtual do Paraná (UVPR). As aulas são online, através do portal Licon do Núcleo de Educação a Distância da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unioeste).
A necessidade do curso surgiu após uma solicitação do Ministério Público do Paraná de indicar profissionais do instituto para atuar na verificação das denúncias recebidas no Estado. Elas podem ser feitas pelo telefone 181 ou pela Ouvidoria do IAT. Entre janeiro e outubro, somente o canal do Instituto Água e Terra recebeu 124 denúncias.
A ouvidoria prontamente redireciona a denúncia a outros canais, como da Delegacia Especializada e do Batalhão da Polícia Ambiental – Força Verde. Com a capacitação, os profissionais também podem verificar as denúncias e, caso necessário, solicitar apoio das forças policiais.
De acordo com a bióloga, os instrutores são representantes do poder público das diferentes instituições envolvidas, bem como profissionais renomados com ampla experiência na temática dos maus-tratos, que voluntariamente se dedicaram a preparar todo o conteúdo.
“Acreditamos que é uma excelente oportunidade para os municípios terem corpo técnico cada vez mais qualificado para esse tipo de atendimento”, acrescentou Fernanda.


Crime
Maus-tratos a animais domésticos, assim como a animais silvestres, é crime. Em setembro deste ano foi sancionada a Lei Federal 14.064/2020, que aumenta a pena para maus-tratos contra cães e gatos. A lei prevê condenação de dois a cinco anos de reclusão, além de multa.


Atendimento
Quando verificada a denúncia de maus-tratos, os animais são resgatados e instituições parceiras do Estado prestam atendimento médico veterinário necessário para a reabilitação e encaminhamento para adoção.


A ONG SOS 4 Patas
Com sede em Campo Largo, é uma das parceiras. A diretora da instituição, Mariane Mazzon, destaca que profissionais capacitados dão agilidade à solução dos casos. “Nosso trabalho é resgatar e receber o animal. Com mais profissionais capacitados focamos nesse atendimento”, disse. “Muitas situações se resolvem apenas com orientação, sem a necessidade de resgate”, completou.