Detran inicia consulta pública para projeto de concessão dos pátios veiculares

O projeto de concessão dos pátios veiculares do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) foi aprovado pelo Conselho de Parcerias

O projeto de concessão dos pátios veiculares do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) foi aprovado pelo Conselho de Parcerias (CPAR) na quarta-feira (12) e iniciará a fase de consulta pública por um período mínimo de 30 dias.

O projeto foi desenvolvido pelas equipes do Detran, do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), e da Superintendência Geral de Parcerias (SGPAR), vinculada à secretaria estadual de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

A consulta pública é a forma de reunir possíveis licitantes para que todos deem suas opiniões para o certame que será proposto. O objetivo é ouvir o maior número possível. Os interessados em participar da licitação terão acesso e direito a todas as informações pertinentes e a oportunidade de manifestar.

O BRDE criou uma nova expertise, a de apoiar a estruturação de concessões e PPPs, ou seja, processos de desestatização. “O projeto de concessão dos pátios veiculares é o primeiro que o banco está participando dentro da nova premissa estabelecida pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior. Temos muito orgulho de poder fazer parte de projetos tão importantes para o Estado”, afirma o vice-presidente e diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley.

O projeto dos pátios veiculares vai gerar um benefício econômico de aproximadamente R$ 162,43 milhões em 20 anos ao Estado. Estão incluídos na concessão os serviços de remoção e guarda de veículos, gestão dos pátios e preparação para leilões veiculares da autarquia.

De acordo com diretor-geral do Detran-PR, Wagner Mesquita, será adotado o modelo de concessão comum, na qual o valor pago pelos usuários remunera a concessionária. A empresa privada fará a gestão dos pátios e o leilão dos veículos que não forem retirados pelos proprietários.

“É de extrema importância que todos os interessados participem da consulta pública para podermos construir um edital que seja justo e benéfico para todas as partes”, afirma Mesquita.