Entenda o que é NFT, a sigla do momento

Estes ativos digitais existem desde 2014, mas se tornaram uma febre digital há dois anos

Uma das perguntas que têm sido feitas pela Internet nesses últimos tempos, é sobre o que é NFT, uma sigla que se tornou febre ano passado, e continua fazendo sucesso.

Tokens não fungíveis (Non fungible tokens), como são denominados em português, são ativos digitais que representam um objeto do mundo real, como uma peça de arte, uma música, um item de um jogo ou até mesmo vídeo.

Esses itens são comprados e vendidos apenas na Internet por meio de criptomoedas e são normalmente codificados. Existem desde 2014, mas se tornaram famosos no ano passado quando começaram a expandir um mercado de trocas de artes digitais.

Os NFTs são únicos, ou têm edições limitadíssimas. Da mesma forma, carregam códigos exclusivos. Muitos destes ativos existem com base em criações já antigas, como clipes icônicos ou versões exclusivas de produções que já foram vistas no Instagram.

Mas porque gastar dinheiro para tê-los?

A resposta é que os NFTs permitem que o seu dono tenha o item original. Mais do que isso, eles carregam uma autenticação de construção, o que serve como prova da sua propriedade. Colecionadores desse mercado tendem a valorizar esses “direitos digitais” mais do que o próprio item.

Além disso, os ativos NFTs têm uma linguagem parecida às criptomoedas, como assinaturas digitais particulares, que não podem ser trocados por outros de igual valor. Um NFT não pode ser trocado por outro igual e, por isso, ele é não fungível.

Como comprar NFT?

Primeiramente o investidor deve entrar em uma carteira digital que permita não apenas o arquivamento de NFTs, mas também de criptomoedas. Antes disso, portanto, a pessoa já deve ter uma reserva de bitcoins para fazer as transações, o que prova que se trata de um mercado restrito. É possível utilizar sistemas como o do Paypal, do Coinbase e do Robinhood para fazer isso, porém estas plataformas cobram tarifas para isso.

Depois é preciso encontrar os mercados abertos na Internet. Há vários deles, como o OpeaSea.io, que vende itens digitais raros, ou o Rarible, que tem o mesmo perfil, ou ainda o Foundation.

Todavia é importante ter cautela. Isso porque o valor desses ativos é basicamente determinado pelo quanto uma outra pessoa pretende  pagar por eles. Neste sentido, é a demanda que dirige o preço e não outros indicadores econômicos, como acontece no mercado financeiro, por exemplo.

Por fim, os NFTs também estão sujeitos a impostos de ganhos de capital: isso significa que, quando uma pessoa os vende, é a mesma coisa que se tivesse vendido uma ação com lucro. Uma vez que são considerados itens colecionáveis, no entanto, eles têm tabelas tributárias específicas. Na verdade, muitos países ainda não conseguiram sequer regular esse mercado, o que se torna muito flexível.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail