Gugu Bueno fala de apoio a municípios e da pandemia

Deputado estadual disse que prepara emendas parlamentares para o programa Paraná Mais Cidades. Ele considera que apenas a vacina fará o mundo superar a Covid-19.

Um dos representantes da região Oeste na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), o deputado estadual Gugu Bueno (PL) é também um representante dos interesses da Cantuquiriguaçu.

Ao conversar com a diretora do Grupo Correio, Joice Fabrício, o parlamentar avaliou o início dos trabalhos em 2021 e falou sobre as medidas e obras que têm atendido na região. “É um começo de ano importante, né? É o primeiro ano de mandato de muitos prefeitos que ganharam a eleição. Eu tenho uma atuação política muito forte aqui na região Oeste, numa parte do Sudoeste. São vinte municípios, vinte prefeitos que me ajudaram e me elegeram como deputado oficial do município, né? Então, isso nos dá uma responsabilidade a mais por trabalhar para esses municípios”.

Bueno disse que 2021 iniciou com intensidade, ao realizar visitas aos municípios. Nessas viagens, ele recebeu demandas, conheceu as prioridades e as emergências de cada local. “Agora em março, abre-se o Paraná Mais Cidades, um projeto onde os deputados, através das suas emendas parlamentares, têm a capacidade de indicar recursos diretamente para os municípios. Então, é importante para que a gente, no momento que for indicar essas emendas, saber quais são as principais prioridades dos municípios que a gente representa”.

Covid-19

Com relação à pandemia, Gugu acredita que o Brasil está atrasado quanto à vacina. “O Brasil, historicamente, desde sempre foi um dos países um dos países protagonistas na questão da vacina mundial, né? Temos esse histórico, essa fama, mas talvez por um erro estratégico do Governo Federal, o Brasil ficou pra trás. Nós estamos vacinando a nossa população, mas infelizmente num ritmo muito lento”.

Para Gugu, só com a vacina será possível “virar a página” da pandemia. “O coronavírus já se mostrou que é uma onda. Ele vai, vem. Dá, abaixa um pouquinho, de repente sobe de novo. Antes de começar a crise coronavírus, nós tínhamos no Paraná mil e oitenta leitos de UTI. Hoje, estamos com quase dois mil e cem leitos. Então, o Governo do Estado fez a sua parte, mais do que dobrou a sua capacidade, a oferta de leitos UTI pra população. Assim, neste momento, nós estamos com um cenário de quase 96% dos leitos ocupados. Então, é o pior momento, é o momento onde o sistema está mais estrangulado e a gente tem que reforçar o pedido à nossa população para que todos tenhamos consciência.  Sabemos que num tem como parar de trabalhar, a sociedade não pode mais parar, o Brasil não aguenta mais, mas precisamos sim fazer as atividades com muito cuidado”.