IDR-Paraná, integrante da rede de distribuição de merenda, bate recorde de agilidade em maio

Para que a merenda chegue em cada uma das escolas estaduais de maneira adequada e em condições ideais de consumo

Para que a merenda chegue em cada uma das escolas estaduais de maneira adequada e em condições ideais de consumo uma grande logística é necessária. Todos os alimentos não perecíveis, como o arroz, feijão, macarrão, fubá são separados, embalados e transportados para as mais de 2 mil instituições de ensino rede estadual.

Este processo é realizado pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná – Iapar-Emater), através do programa estadual de alimentação escolar. Em maio, por exemplo, foram distribuídas 2,3 mil toneladas de alimentos adquiridos pela Fundepar (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional).

Houve um recorde de agilidade na distribuição no mês passado: tudo foi feito em apenas 20 dias, quando o normal é levar até 30 dias. Cerca de 20 servidores do IDR-Paraná e do Sindicato dos Trabalhadores na Movimentação de Mercadorias e Armazenamento de Pinhais trabalham para que os alimentos alcançassem as escolas e as crianças.

Mesmo com parte das aulas presenciais ainda suspensas por causa da pandemia do novo coronavírus, o Governo do Estado continua a enviar alimentos para que as instituições repassem às famílias em situação de vulnerabilidade social. Aquelas que já retornaram mantém a distribuição nas escolas.

O transporte da mercadoria em maio foi feito em 20 carretas e 18 caminhões de diversas transportadoras do Paraná para as diferentes localidades, inclusive as mais distantes, como comunidades quilombolas, aldeias indígenas e ilhas do Paraná. Cada instituição recebeu uma quantidade de alimento de acordo com a sua demanda e o número de alunos.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail