Manifestante antivacina morde dedo de vereador na Câmara de Porto Alegre durante briga

A sessão foi interrompida até que a situação fosse resolvida

Na tarde de ontem (20) um grupo de manifestantes contrários ao passaporte da vacina, invadiram a Câmara de Vereadores de Porto Alegre (RS) interrompendo a sessão no Legislativo. Um dos vereadores que estava no local e tentou conter o grupo, comentou que foi mordido no dedo por um dos integrantes.

Os parlamentares discutiam sobre o veto do prefeito Sebastião Melo perante à exigência do passaporte vacinal em Porto Alegre, onde a apresentação do documento é obrigatória em alguns comércios e espaços públicos, desde segunda-feira (18), por determinação estadual.

A sessão foi interrompida pelo vereador Idenir Cecchim (MBD) até que fosse resolvido a situação. Já o vereador Claudio Janta (Solidariedade) afirmou que foi mordido no dedo por um dos manifestantes. Fora da Câmara haviam outros manifestantes carregando bandeiras do Brasil e cartazes defendendo o direito de não se vacinar, afirmando que a vacina não tem eficácia e não garante a imunização.

Paraná

No Paraná iniciou um projeto de lei para a criação do Passaporte Sanitário, porém foi arquivado. O projeto criaria um passaporte vacinal para restringir o acesso de pessoas que não se imunizaram a lugares, realização de atos e a obtenção de documentos.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) disse que é favorável e pertinente a criação de um passaporte sanitário no estado. Em entrevista à CBN de Curitiba, o deputado afirmou que é um direito dos cidadãos ter a saúde e vidas preservadas.

“Tem que ter bom senso. Ninguém pode expor os outros ao risco. O direito de não se vacinar vai até o limite do direito do outro de estar protegido”, afirmou. Para o deputado, é necessário que haja um controle da sociedade para reduzir as possibilidades de transmissão do novo coronavírus. “Temos que acabar com a pandemia para retomar à normalidade ou ao novo normal”, disse.

Luiz Claudio entende que a comprovação de imunização contra a Covid-19 vai ser exigida por muito tempo ao redor do mundo todo, e cita o exemplo da febre amarela, cuja vacina é obrigatória para que brasileiro possam circular em outros países e recomenda o mesmo dentro do Brasil.

“Está comprovado que a vacina reduz muito a contaminação. Em locais públicos deve existir o controle de acesso” enfatizou.

Romanelli comentou sobre o pedido de arquivamento do projeto de lei de sua autoria, juntamente com os deputados Ademar Traiano (PSDB) e Alexandre Curi (PSB). Segundo ele, os técnicos indicaram que legislações deste tipo devem vir do Poder Executivo e por isso houve a solicitação para retirada da proposta da pauta da Assembleia Legislativa.

“Absurdo o que presenciamos nesta tarde na Câmara: vereadores foram agredidos por alguns membros do grupo antivacina. Alguns, inclusive, estavam com cartazes com o símbolo da suástica. VERGONHA de quem faz essa afronta a vida!”, escreveu ele nas redes sociais.

Quer ficar por dentro das novidades? Então nos acompanhe pelo Facebook | Twitter | YouTube | Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail