Número de pessoas que imigraram atinge quantidade recorde

No final do ano passado o número ficou perto dos 60 milhões

De acordo com o Centro de Monitoramento de Deslocamentos Internos (IDMC), o número de pessoas que fugiram de suas casas e imigraram nos seus próprios países atingiu aproximadamente 60 milhões até o fim do ano passado.

Os principais fatores para a imigração são desastres, incluindo eventos climáticos, entre eles ciclones, e inundações na Ásia, e conflitos prolongados em lugares como Síria, Afeganistão, Etiópia, e agora a Ucrânia.

O criador do Idmc, o secretário-geral do Conselho Norueguês de Refugiados Jan Egeland, explica que a cada dia que passa o mundo está desmoronando. “Se em 1998 não tivéssemos criado o Conselho talvez muitas pessoas deslocadas seriam consideradas invisíveis. Em 2021 tivemos um ano muito sombrio e 2022 está se tornando ainda pior, com a guerra na Ucrânia, o que levará a um recorde”. 

O relatório mostra que 59,1 milhões de pessoas viviam em condições de imigração até o fim do ano passado, em comparação com os 55 milhões de pessoas em 2020.

Os países com maior número de pessoas deslocadas foram Síria, República Democrática do Congo, Colômbia, Afeganistão e Iêmen, sem contar os refugiados, o que aumentaria ainda mais o número.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail