Protestos de caminhoneiros paraguaios já dura quatro dias

A Ponte da Amizade segue com o trânsito interrompido

Protesto por parte dos profissionais paraguaios do transporte continuam no Paraguai e também na divisa com o Brasil em Foz do Iguaçu, desde segunda-feira (14) com o reajusta nos valores resultado do conflito entre Rússia e Ucrânia.

Os caminhoneiros continuam o protesto contra o aumento no preço dos combustíveis, e mesmo após o anúncio do governo paraguaio, através da Petropar, da redução de 500 guaranis (R$ 0,30) os motoristas seguem interrompendo o trânsito na Ponte da Amizade, liberado a intervalos cada vez maiores, entre 30 a 40 minutos. Manifestantes pedem uma redução de mil guaranis.

Até o momento não se sabe quanto tempo durará a menifestação. O presidente paraguaio Mario Abdo Benítez enviou um projeto para a Câmara con o intuito de buscar investimentos por empréstimos para subsidiar os combustíveis nos fornecedores privados.

Motoristas em direção à Cidade Do Leste precisam ter paciência para atravessar a fronteira. A travessia a pé pela ponte ocorre normalmente.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail