Virmond consegue cadastrar 100% de seu rebanho

“A atualização do rebanho auxilia a Vigilância Sanitária e garante a manutenção do status internacional de área livre de febre aftosa sem vacinação”, diz Admilson

O  Departamento de Tributação e Arrecadação de Virmond, realizou, no último mês, uma força tarefa para atingir a meta de atualização de rebanho do Paraná, encerrada em 30 de junho. Ela é obrigatória para todos os produtores rurais com animais de produção de qualquer espécie sob sua guarda.

Aqueles que não cumprirem a exigência ficarão impedidos de obter a Guia de Trânsito Animal (GTA), documento que permite a movimentação de animais entre propriedades e para abate nos frigoríficos. Segundo o assistente de Fiscalização da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Admilson Ferreira, a atualização do rebanho é fundamental para auxiliar a Vigilância Sanitária e garantir a manutenção do status internacional de área livre de febre aftosa sem vacinação.

Paulo Costa, responsável pelo departamento no Paço Municipal, destacou algumas ações que podem ser realizadas com quem não atualiza o cadastro junto à Adapar. “Além do impedimento para emissão da GTA, a legislação prevê autuação e pagamento de multa de uma Unidade Padrão Fiscal por cada animal. Em julho, o valor da UPF no Paraná é de R$ 114,48”, disse.

Certificação

A certificação é fruto da concessão de 27 de maio pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), depois de mais de 50 anos de esforços conjuntos de entidades públicas e privadas, além da cooperação de produtores; e essa atualização do rebanho substitui as campanhas de vacinação contra febre aftosa, que vinham sendo feitas duas vezes por ano. A última campanha de vacinação no Paraná foi em maio de 2019.

A atualização é exigida para todas as espécies animais existentes na propriedade: bovinos, búfalos, equinos, asininos, muares, suínos, ovinos, caprinos, aves, peixes e outros animais aquáticos, colmeias de abelhas e bicho-da-seda. Por isso, é importante lembrar da vacinação obrigatória para gado de corte e de leite de três a oito meses contra Brucelose.