Virmond: exemplo de solidariedade e atenção à quem precisa

A primeira-dama, Marliza Granoski, juntamente com a assistência social e o CRAS entregarão ovos da Páscoa para crianças carentes do município

A prefeitura por meio da Assistência Social e CRAS estarão fazendo a entrega dos ovos de Páscoa para crianças carentes, de família de baixa renda, do município de Virmond. A primeira-dama Marliza Schuartz Granoski, que está à frente do projeto, conta que sempre foram entregues ovos de páscoa e presentes no Natal e quando o prefeito Neimar assumiu, manteve essas ações. “Infelizmente no ano passado não foi possível realizarmos a entrega, pois a data estava no forte da pandemia”.

Segundo a primeira-dama, há crianças no município que quando não recebem os ovos do CRAS e da Assistência Social, acabam não ganhando nada porque esse era o único meio de ganhar essa lembrancinha. “Mesmo com a pandemia nós vamos realizar o projeto, que agraciará crianças de até 12 anos”.

Os ovos serão confeccionados em Virmond e as entregas acontecerão nos dias 29, 30 e 31 de março no CRAS. Para fazer a retirada, a prefeitura pede que vão apenas os pais, não esquecendo do uso obrigatório de máscara.”Foram determinados três dias de entrega para que não haja aglomerações”, ressalta Marliza.

Os projetos não param

Virmond conta com outros projetos promovidos pela Assistência Social, que em sua grande maioria estão suspensos devido a pandemia, mas assim que possível voltarão a atender a população. Os projetos são variados, tem: oficinas de karatê, futsal, vôlei, banda e cursos voltados para as mulheres como manicure e cabeleireira.

A primeira-dama explica que os projetos visam tirar as crianças da rua e essas atividades são feitas no contraturno do período escolar, assim eles sempre estarão ocupados. ” As crianças podem escolher três oficinas. Espero que as atividades voltem logo, agora que diminuímos bastante os casos de Covid-19 no município” afirma Marliza.

A prefeitura vem fornecendo a dois anos tênis para as crianças que participam das oficinas, são comprados também, instrumentos para os participantes da banda. “Foram adquiridos tênis em novembro, mas devido a pandemia não pudemos entregar. Fazemos essa doação porque temos crianças carentes que no inverno vão às oficinas de chinelo”.

Solidariedade que não acaba

Todo início de maio, começa a arrecadação da campanha do agasalho e como as doações acabavam não sendo suficientes, Marliza conta que foi feita uma parceria com um atacadão de roupas, para que houvesse mais materiais para serem distribuídos. “Conseguindo assim, ajudar todas as famílias que precisam”.

“É feita também a entrega de calçados para creches, onde elas analisam quais as crianças que precisam e as professoras entregam para os alunos que muitas vezes vão de chinelo no inverno”.

Projeto com as mulheres

O clube de mulheres tem no total 10 mulheres, duas na cidade e oito no interior. “No dia das mulheres eram feitas comemorações, onde tinham entregas de rosas, um lanche, conversas e brincadeiras, como a situação atual foram entregues xícaras decoradas como lembrancinhas para cada mulher, de modo que não passou em branco”, completa a primeira-dama.