Caso Vagnão: TJD aceita revisar julgamento do Bituruna

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-PR) aceitou o pedido do Bituruna para revisar o julgamento que condena o clube com

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-PR) aceitou o pedido do Bituruna para revisar o julgamento que condena o clube com a perda de pontos em razão da escalação irregular do fixo Vagnão. 

O Bituruna alega não ter tido direito à defesa, não sendo informado do julgamento. 

Vagnão foi expulso no jogo contra o CAD, em Guarapuava, válido pela 1ª fase. O atleta foi alvo de julgamento por conta de uma suposta agressão a um adversário. O caso foi julgado quando a 2ª fase já havia iniciado e o jogador foi suspenso por três jogos. Ele cumpriu a suspensão automática e depois voltou a atuar. 

Em julgamento na terça-feira (17), o time foi multado em R$ 100 e perdeu nove pontos – três conquistados em quadra e seis por cada uma das partidas disputadas irregularmente por Vagnão. Neste contexto, o Bituruna perderia a vaga na semifinal da segundona. 

“O presidente notificou à Federação de que os e-mails haviam mudado. Não fomos informados. Recebemos notificações para a retirada do adesivo da Cresol em nossa quadra, mas não sabíamos do julgamento. Queremos que esse julgamento seja extinguido e que seja feito um novo”, explicou o técnico André Demczuk. 

Enquanto isso, a Série Prata do Paranaense de Futsal passará mais um final de semana sem rodada. O certame está na semifinal. O Bituruna enfrentaria, nesta fase que vale o acesso, o Coronel. O Operário Laranjeiras mede forças com o São Miguel. 

Até a publicação desta nota, a Federação ainda não havia se pronunciado. Tão logo faça, o texto será atualizado.