Luciano Bonfim explica porquê ficou no Operário

Treinador do Rubrão recebeu proposta do Pato mas disse não. Ele está desde julho de 2019 em Laranjeiras

Por Juliam Nazaré

No início da semana passada, os torcedores do Operário Laranjeiras se preocuparam com a possibilidade de Luciano Bonfim deixar o clube. O técnico recebeu uma proposta do Pato para assumir o cargo deixado por Paulinho Cardoso. Ele levou mais de um dia refletindo, fez uma reunião com a diretoria do Rubrão, mas no fim disse não. 

O comandante está desde julho de 2019 no Operário e conquistou os títulos das Séries Bronze e Prata, que resultaram no acesso à elite estadual. No total, já foram 52 partidas, com 37 vitórias, sete empates e cinco derrotas. 75,6% de aproveitamento. Mesmo caçula no campeonato, o Rubrão lidera a Ouro. 

Palavra vale mais do que um escrito

Em entrevista ao Correio do Povo do Paraná, Bonfim revelou os motivos que o fizeram recusar a proposta do bicampeão da Liga Nacional. “Nesse momento a minha saída é impossível. Tenho uma responsabilidade muito grande no clube. Sair agora não seria bom para ninguém. Tenho um combinado com a diretoria e normalmente cobro que as pessoas cumpram o que acertam. Eu também gosto de agir assim. Tenho gratidão pela forma que fui recebido em Laranjeiras do Sul e preferi honrar o meu contrato”, declarou. 

Luciano afirmou também que esta não foi a primeira vez em que foi procurado por outras equipes. A diferença é que na ocasião com o Pato a imprensa do Sudoeste e de Laranjeiras tomou conhecimento da procura.  “Eu fiquei lisonjeado pela procura do Pato. Isso mostra que o trabalho de todos no Operário está sendo reconhecido”. 

Ficou balançado?

É bem verdade que o momento do Pato não é dos melhores. Com problemas financeiros, o clube quita a dívida deixada pela gestão anterior. No estadual, é o 9º, com 16 pontos em 10 jogos. Na Liga Nacional, está em 6º, com 13 pontos no Grupo C. O retrospecto nem de longe lembra as equipes lendárias de 2017 a 2019 – quando surgiu como fenômeno da modalidade no Brasil. A saída de Paulinho veio após uma sequência de derrotas, com goleadas para Palmas, Foz Cataratas e para o próprio Operário Laranjeiras. O estopim foi o tropeço em casa para o Toledo, time que luta diretamente contra a queda na Série Ouro. 

Luciano avalia a situação do Pato influenciou na recusa e se ficou balançado com a proposta.  “Quem não gostaria de receber uma proposta do Pato? O clube tem uma visibilidade grande, então para qualquer profissional é bom ir para lá. Tive que pensar. Coloquei os pesos na balança. Foi difícil falar não e o que mais pesou foi a minha palavra dada ao presidente Tilim. O Pato é bicampeão nacional, com um peso de camisa comparado ao Corinthians, Joinville/SC ou Carlos Barbosa/RS, apesar do pouco tempo de atividade. Essa repercussão de uma possível saída minha se deu por conta de ser o Pato. O clube está sanando problemas financeiros e no ano que vem deve vir com uma equipe muito forte, segundo o que me passaram. Vão se reerguer. Mesmo não tão bem, é candidato a favorito. Nunca entra como azarão”.