Brasil ganha medalha de ouro na Olimpíada Internacional de Economia na Rússia pela terceira vez

Lucas Bartoszik, um dos organizadores da OBECON, natural de Virmond, explica que a conquista se deve a um esforço conjunto e que o mérito primordial é dos estudantes

Por Thamiris Costa

A Olimpíada Brasileira de Economia (OBECON), fundada em 2017 com o apoio institucional e técnico do Instituto Vertere, tem representado com êxito o país na Olimpíada Internacional de Economia (IEO – International Economics Olympiad em inglês), conquistando o terceiro lugar na primeira edição (2018) e tornando-se campeã nas três edições conseguintes, 2019, 2020 e 2021.

No último domingo (1°), enquanto o país se entretinha com os jogos Olímpicos, em Tókio, a terceira medalha de ouro resultou de Riga, na Letônia, onde o time brasileiro – formando por Vitor Alexandre de Camargo, Sebastião Navarro, Nicolas Goulart de Moura, Caio Bento da Silva Luize e Ishan Matheus de Campos Unni -, competiu com mais de 40 países e 200 alunos do Ensino Médio por quase uma semana; ficando à frente do Canadá, segundo colocado, e dos Estados Unidos, terceiro.

“As provas foram bastante desafiadoras, mas os problemas propostos eram interessantes, e saber que fomos bem preparados me deu calma para resolvê-los da melhor maneira possível. Fiquei muito feliz que alcançamos o primeiro lugar mais uma vez”, disse Vitor Alexandre de Camargo, um dos competidores brasileiros.

Segundo um dos organizadores da OBECON, Lucas Bartoszik – virmondense que, juntamente com Alisson Ramos, do Rio Grande do Sul, se tornou um dos primeiros brasileiros da história aceitos pelo Instituto de Física e Tecnologia de Moscou (MIPT), na Rússia -, esta preparação é fruto de um trabalho conjunto que é mérito primeiramente dos estudantes, dos técnicos e de toda estrutura envolvida por trás.  

“Desse resultado o merecimento se deve a quem está diretamente no campo de batalha, que são os alunos. Em seguida, temos os técnicos, que são fenomenais, Tomás Aguirr e Rafael Carlini, e depois todos os que contribuem no setor operacional”, explica ele. “A forma como eu me sinto em relação a isso é tal qual o zelador que limpava o local onde realizaram-se os principais projetos de foguetes dos EUA nos anos 80, que, quando questionado pelo presidente John Kennedy sobre o que fazia, explicou: ‘estou ajudando o país chegar à lua’”. 

Lucas e a OBECON

Há aproximadamente nove anos, Lucas era um estudante do ensino médio em Virmond que participava de muitas olimpíadas do conhecimento, onde obteve ótimos resultados. “Naquele momento, eu não me imaginava indo para a Rússia”, relembrou. “Me inscrever no MIPT não estava nos meus planos, na época eu tentava prestar para universidades americanas”.

Entretanto, momentos inusitados continuaram moldando a história de Lucas, que conhecia o brasileiro Germano Tietbohl (um dos futuros idealizadores da OBECON), através de Alisson, seu companheiro de quarto. Naquele ano, Germano encontrou pessoalmente o russo Danil Fedorovykh, professor de um MOOC, recém nomeado fundador da primeira IEO.

Algum tempo depois, quando Germano já organizava a primeira Olimpíada Brasileira, por um acaso, Lucas o auxiliou com uma questão econômica ainda pouco percebida na época, relacionada as influências na Bolsa de Valores causadas por problemas políticos que ocorriam na Turquia. “Contribuição fundamental para solucionar uma questão inteira para os alunos brasileiros na primeira competição internacional, em 2018”, detalhou ele.

Depois disso, ele foi convidado a se tornar membro oficial das olimpíadas de economia, ajudando a desenvolver provas e a organizar o setor operacional. Atualmente, a equipe desenvolveu um sistema de criação de provas online, na qual a própria Olimpíada Internacional e outras universidades se basearam.

Além disso, a OBECON é o único torneio do Brasil a ser campeã mundial de uma Olimpíada Internacional e, como resultado disso, os alunos das olimpíadas ingressam nas maiores instituições no mundo. “Por isso, um  dos principais objetivos é difundir o interesse pelo estudo de economia entre os alunos no Brasil”, adicionaram os organizadores.