Agro Laranjeiras: o divisor de águas que marca a história de Laranjeiras do Sul

“Agro Laranjeiras”, nova indústria de leitões, promete ser a maior do país, contribuindo com 10% da produção total e gerando, no total, mais de mil postos de trabalho

Por Thamiris Costa

Na manhã desta sexta-feira (10), um verdadeiro divisor de águas marcou a história de Laranjeiras do Sul: a anunciação de uma indústria de leitões que promete ser a maior do país. O governador Carlos Massa Ratinho Junior esteve presente no lançamento da “Agro Laranjeiras”, empresa que receberá um investimento inicial de R$377 milhões com o Estado.

O reflexo desse investimento milionário se expandirá para além do município, trazendo benefícios para várias cidades ao redor. “A Agro Laranjeiras é revolucionária a para a região Centro-Sul; é um divisor de águas porque é capaz de mudar o rumo da nossa economia. Somente aqui, teremos um montante equivalente a 10% de tudo que o Brasil produz”, destacou Berto Silva, prefeito de Laranjeiras do Sul.

A realização desse empreendimento só foi possível a partir da aquisição do terreno em convênio com o Estado, que, visando impulsionar a industrialização e a criação de postos de trabalho na região, transferiu recursos para a prefeitura municipal. O projeto será edificado em uma área de 117 alqueires ou 2.831.400 metros quadrados.

Além disto, Ratinho aponta que o projeto refletirá diretamente na melhora do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da região. “As cidades precisam de incentivos para se desenvolver. O Estado tem como missão atuar para dar qualidade de vida às pessoas, e garantir emprego e renda é fundamental neste aspecto.”

Fatores e estimativas

Um dos nove acionistas da empresa, João Marcel Mulinet, explicou que Laranjeiras possui muitos fatores combinados que são propícios para o empreendimento, como, por exemplo, mão de obra disponível, um status acessível, facilidade de acesso à cidade (que conta com ótimas rodovias) e terras.

“A cadeia de produção suína possuí reprodução, a creche e a terminação. Aqui, faremos a etapa da reprodução”, prosseguiu ele.

Isso significa dizer que a estimativa da “Agro Laranjeiras” é de produzir 20 mil leitões desmamados por semana, totalizando cerca de um milhão de leitões por ano. A expectativa de faturamento anual é de aproximadamente R$ 200 milhões.

“Do total de leitões, 500 leitoas serão escolhidas para gerar novos animais. Ao final do processo, a expectativa é chegar a 4.700 suínos abatidos por dia, durante cinco dias da semana. Considerando um peso médio de abate de 125 quilos, serão fornecidos 974.643 suínos e 121.830.275 quilos de suíno anualmente”, explicou.

O secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, disse que é importante para economia parar de exportar apenas soja e milho e começar a produzir uma unidade autônoma. “Já possuímos escala, qualidade e preços competitivos; o que nos faltava era agressividade estratégica, que agora será possível. Após essa realização, o nome de Laranjeiras estará na mesa das famílias de todos os países!”

Ademar Traiano, presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, reforçou que essa agressividade estratégica só foi possível porque empresários investiram, mesmo em um período de crise sanitária. “O fator mais importante para a existência de um negócio está na capacidade dos empresários em acreditar no aquecimento”.

Geração de empregos em Laranjeiras

Em Laranjeiras do Sul, a produção de suínos é uma das mais expressivas do município. O Valor Bruto da Produção (VBP) de 2020 da cidade mostra que a produção de leitões para recria e os suínos para abate tiveram resultados semelhantes: enquanto o primeiro rendeu R$ 15.560.482 no ano, o segundo chegou a R$ 15.829.760.

A “Agro Laranjeiras” deve gerar 200 empregos diretos e mais 885 indiretos, somando trabalhos como transporte de animais, transporte de ração, assistência técnica, abate nas indústrias e fábricas de ração. Parte dessas vagas, conforme Ratinho Junior, é devido a atração de novas empresas para o Paraná. “O Estado atraiu em torno de R$ 86 bilhões em investimentos privados desde 2019”, pontuou.

Infraestrutura

A nova indústria contará com duas unidades produtoras de leitões desmamados, com capacidade de 31,2 mil matrizes (porcas criadoras) e um sítio para abrigar as leitoas que aguardam nova fecundação, somando 130 mil metros quadrados de área voltada à produção suína.

Além destes espaços, o complexo também vai contar com 70 residências para funcionários; armazém para 200 mil sacas de milho; uma fábrica de ração de 25 toneladas por hora; uma garagem para veículos, máquinas e equipamentos agrícolas; escritório administrativo; refeitório; lavanderia; balança rodoviária e rodolúvio, onde passam os caminhões para a desinfecção obrigatória. No total, são mais de sete mil metros quadrados de área construída.

O novo empreendimento também deverá movimentar a indústria de agricultura na região: serão necessárias 3,4 milhões de sacas de milho e 1,37 milhões de sacas de soja por ano para dar conta de alimentar os animais.

Coprossel: 30 anos e investimentos

Após o lançamento da “Agro Laranjeiras”, os participantes se encaminharam até a UBS da Coprossel e comemoraram o lançamento da nova fábrica de ração para bovinos de corte e leite, com capacidade de produção de 32 mil toneladas por ano, que pode ser expandida para produzir ração para peixe.

Também foi inaugurada uma usina fotovoltaica na Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS), que vai gerar energia suficiente para atender quase toda a demanda da unidade. Uma segunda planta deve ser instalada para produzir energia também para a fábrica de rações.

Conselho de Cultura solicita a implementação de curso de Artes na UFFS

Presentes

Participaram dos eventos o secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva; o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Ademar Traiano; os deputados estaduais Artagão Junior, Paulo Litro e Gugu Bueno; o vice-prefeito de Laranjeiras do Sul, Valdemir Scarpari; o presidente da Câmara Municipal, Carlos Alberto Machado; o segundo vice-presidente da Cooperativa Agroindustrial Lar, Urbano Frey; o diretor da Globoaves, Roberto Kaiffer; o CEO da F&M Solutions, Fábio Vieira Ramos; e os acionistas da Agro Laranjeiras Gilmar Zanatta, Marcos Pedro Batistel, Ricardo Antonio Paetzold, Iraldo Eberetz, Maicon Roberto Zanella, Itacir Angelo Zandonal e Arilberto Cella.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail